Servidores pedem que poderes devolvam mais de R$ 400 milhões ao Estado

O fórum dos sindicatos e associações que representam os trabalhadores do poder Executivo estadual quer que os demais poderes, como o Legislativo e Judiciário potiguares devolvam R$ 400 milhões para ajudar a recompor e colocar em dia o pagamento dos servidores públicos estaduais. O valor equivale a praticamente um mês da folha salarial, que em setembro foi de R$ 427,64 milhões.  
 
Um estudo elaborado pelos sindicatos com dados do Portal da Transparência e os relatórios de Gestão Fiscal do Estado aponta que de 2010 a agosto passado, Ministério Público, Tribunal de Justiça, Assembleia Legislativa e Tribunal de Contas tiveram um aumento de 90% no valor nominal - que não leva em conta a inflação - dos repasses constitucionais feitos a eles mensalmente por meio dos duodécimos. Esses valores são definidos pela Lei Orçamentária Anual, com base na projeção que o Executivo faz para as receitas do ano. O crescimento das receitas estaduais, porém, foi bem menor: 47,8%. O gasto com pessoal aumentou 56,1% no mesmo período. 
De acordo com os cálculos realizados pelos sindicalistas, se ao longo dos últimos seis anos os reajustes dos duodécimos seguissem apenas a inflação, o Executivo teria repassado R$ 1,44 bilhão a menos. A essa diferença eles chamaram de “excesso”. Ela é maior que a soma dos repasses de um ano inteiro. Em 2015, por exemplo, os poderes receberam juntos R$ 1,42 bilhão. 
 
Outro argumento utilizado por eles é que a Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF) e a constituição estadual garantem que o Executivo deve repassar as frustrações do orçamento para os poderes também. Ou seja, se a receita foi menor que a estimada, deve haver um desconto proporcional no duodécimo. Eles afirmam que isso não vinha ocorrendo.
Servidores pedem que poderes devolvam mais de R$ 400 milhões ao Estado Servidores pedem que poderes devolvam mais de R$ 400 milhões ao Estado Reviewed by Ricardo Adriano on outubro 25, 2016 Rating: 5

Nenhum comentário

Teste Teste Teste Teste

Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste