• Notícias de Última Hora

    sexta-feira, 4 de novembro de 2016

    Bailarinos potiguares são selecionados para o Balé Bolshoi, veja o vídeo desta matéria

    Bailarinos potiguares são selecionados para o Balé Bolshoi
    Os bailarinos potiguares Igor Tavares e Kemily Christiane , de 15 anos, foram escolhidos para integrar o centro de formação do Brasil da escola russa Bolshoi de balé. Foram escolhidos oito candidatos entre os 465 inscritos para a seleção, que ocorreu em julho, em Joinville, no Norte catarinense. Eles agora lutam para conseguirem se mudar para Santa Catarina em 2017.
    Desde pequeno, ballet era tudo o que Igor queria. “Desde os cinco anos a gente viu que era o que ele queria mesmo. Ele sempre brincava de dançar”, conta a irmã Ingrid Tavares. A história também se repete com Kemily, que contou com o apoio da família desde criança.
    Luciene da Silva, mãe da menina, viu de perto a aflição da filha. "Ela dizia que não queria fazer a audição por que sabia que não iria passar, mas eu só pedi que ela desse o melhor dela“ se emociona. “São horas de treino, horas de ensaio para você conseguir chegar até onde quer, até a perfeição“, conta Kemily.
    Leidiana Tavares, mãe de Igor, conta que o começo foi difícil, mas o amor pelo filho falou mais alto que qualquer coisa. “Esses preconceitos só serviram para atrasar o crescimento dele. É uma profissão linda, é emocionante. Quando eu o vejo, me sinto a mãe mais feliz do mundo”, conta. “Um bom bailarino precisa ser artista e nós temos o dever de dar boa arte ao público”, fala Igor.
    Em Joinville, Igor e Kemily vão começar a vida do zero. A mãe da garota pretende se mudar com a filha. Desempregada, vende rifas, bolos, doces e brigadeiros que faz em casa, para ajudar no sonho da menina. “O mais difícil são as condições financeiras para eu conseguir chegar aos meus objetuvos. Queria poder pelo menos  levar coisas básicas como fogão, geladeira, já seria um começo maravilhoso”, conta Kemily.
    Na casa de Igor, que mora em São Gonçalo do Amarante, a reforma parou. Tudo que a mãe ganha como auxiliar de serviços gerais, vai para uma poupança para ajudar o garoto, que vai sozinho nessa empreitada. “A minha preocupação é se eu vou conseguir manter ele lá”, conta Leidiana Tavares, mãe de Igor.
    A escola de Joinville é a única filial do Bolshoi fora da Rússia. Os aprovados na audição vão começar as aulas no início de 2017. O ensino é gratuito e os alunos recebem alimentação, transporte, uniformes e assistência médica de emergência, entre outros benefícios.
    Veja a matéria:
    video


    Nenhum comentário :

    Twitter

    -->

    Culture