• Notícias de Última Hora

    domingo, 27 de novembro de 2016

    Considerado o primeiro samba de sucesso, ‘Pelo telefone’ completa cem anos.



    Na introdução, a letra já diz que “o chefe da folia/pelo telefone manda avisar/que com alegria/não se questione para se brincar”. E é nesse ritmo que, há exatos cem anos, “Pelo telefone” é considerado o primeiro samba. Foi no dia 27 de novembro de 1916 que Ernesto dos Santos, o Donga, registrou a canção na Biblioteca Nacional. Mas questionamentos não faltaram, ao logo desse século. A obra até hoje é alvo de contestações diversas. E é essa a história “atravessada”.

    Donga teria sido o único autor? Muitos estudiosos afirmam que a música foi, na verdade, composta coletivamente, durante uma festa na casa da Tia Ciata, no Centro do Rio. Donga era um dos frequentadores mais assíduos do lugar, junto com João da Baiana e Pixinguinha — outros nomes de grande importância na história do ritmo. Em 1917, o próprio Donga incluiu o jornalista Mauro de Almeida como também responsável pelo samba.

    — A maioria das questões que se levantam sobre “Pelo telefone” não vão ser resolvidas. Ele é um marco fascinante por tudo isso. É cercado de polêmicas, versões diferentes — acredita o historiador Luiz Antonio Simas, autor do livro “Dicionário da história social do Samba”, escrito com Nei Lopes.

    O professor lembrou que a canção chegou a ser classificada como maxixe por alguns. Entre discussões sobre autoria, estilo e outros causos, as controvérsias em relação à obra vão além. Teria sido mesmo o primeiro samba? Nos estudos de Simas, há ao menos outras nove gravações anteriores a 1916 que teriam sido registradas como “samba”.
    — O que podemos dizer diante disso? É claro que o “Pelo telefone” é um registro de relevância maior na história do samba. O lugar que ele ocupa é o de uma gravação registrada como samba que fez enorme sucesso no carnaval de 1917. Nenhuma gravação editada anteriormente como samba chegou perto da popularidade que a música conquistou — esclarece.
    Donga morreu em 1974, aos 84 anos. Ele compôs 80 músicas e tem cinco discos.
    Curiosidades
    PARÓDIA
    “Pelo telefone” ironizava uma suposta determinação da polícia carioca da época para que se informassem antes, por telefone, aos infratores a apreensão do material de jogo de azar. O episódio acabou virando motivo de chacota. A versão oficial da música até ganhou contornos populares: O chefe da polícia/Pelo telefone/Mandou avisar/Que na Carioca/Tem uma roleta.
    Fonte: Extra

    Nenhum comentário :

    Twitter

    -->

    Culture