• Notícias de Última Hora

    terça-feira, 29 de novembro de 2016

    Liturgia da Palavra de hoje (29)

    Primeira Leitura (Is 11,1-10)
    Leitura do Livro do Profeta Isaías.
    Naquele dia, 1nascerá uma haste do tronco de Jessé e, a partir da raiz, surgirá o rebento de uma flor; 2sobre ele repousará o Espírito do Senhor: espírito de sabedoria e discernimento, espírito de conselho e fortaleza, espírito de ciência e temor de Deus; 3no temor do Senhor, encontra ele seu prazer. Ele não julgará pelas aparências que vê nem decidirá somente por ouvir dizer; 4mas trará justiça para os humildes e uma ordem justa para os homens pacíficos; fustigará a terra com a força da sua palavra e destruirá o mau com o sopro dos lábios. 5Cingirá a cintura com a correia da justiça e as costas com a faixa da fidelidade. 6O lobo e o cordeiro viverão juntos, e o leopardo deitar-se-á ao lado do cabrito; o bezerro e o leão comerão juntos, e até mesmo uma criança poderá tangê-los. 7A vaca e o urso pastarão lado a lado, enquanto suas crias descansam juntas; o leão comerá palha com o boi; 8a criança de peito vai brincar em cima do buraco da cobra venenosa; e o menino desmamado não temerá pôr a mão na toca da serpente. 9Não haverá danos nem mortes por todo o meu santo monte: a terra estará tão repleta do saber do Senhor quanto as águas que cobrem o mar.10Naquele dia, a raiz de Jessé se erguerá como um sinal entre os povos; hão de buscá-la as nações, e gloriosa será a sua morada.

    - Palavra do Senhor.
    - Graças a Deus.

    Responsório (Sl 71)
    — Nos seus dias, a justiça florirá; paz em abundância, para sempre.
    — Nos seus dias, a justiça florirá; paz em abundância, para sempre.
    — Dai ao Rei vossos poderes, Senhor Deus, vossa justiça ao descendente da realeza! Com justiça ele governe o vosso povo, com equidade ele julgue os vossos pobres!
    — Nos seus dias, a justiça florirá e grande paz até que a lua perca o brilho! De mar a mar estenderá o seu domínio, e desde o rio até os confins de toda a terra!
    — Libertará o indigente que suplica, e o pobre ao qual ninguém quer ajudar. Terá pena do indigente e do infeliz, e a vida dos humildes salvará.
    — Seja bendito o seu nome para sempre, e que dure como o sol sua memória! Todos os povos serão nele abençoados, todas as gentes cantarão o seu louvor!

    Evangelho (Lc 10,21-24)
    — O Senhor esteja convosco.
    — Ele está no meio de nós.
    — Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo Lucas.
    — Glória a vós, Senhor.
    21Naquele momento Jesus exultou no Espírito Santo e disse: “Eu te louvo, Pai, Senhor do céu e da terra, porque escondeste essas coisas aos sábios e inteligentes, e as revelaste aos pequeninos. Sim, Pai, porque assim foi do teu agrado. 22Tudo me foi entregue pelo meu Pai. Ninguém conhece quem é o Filho, a não ser o Pai; ninguém conhece quem é o Pai, a não ser o Filho e aquele a quem o Filho o quiser revelar”. 23Jesus voltou-se para os discípulos e disse-lhes em particular: “Felizes os olhos que veem o que vós vedes! 24Pois eu vos digo que muitos profetas e reis quiseram ver o que estais vendo, e não puderam ver; quiseram ouvir o que estais ouvindo, e não puderam ouvir”.

    — Palavra da Salvação.
    — Glória a vós, Senhor.

    Homilia
    Jesus está exultando de alegria pelo Pai, louvando e bendizendo, porque não foi aos sábios, aos grandes, poderosos e entendidos que o Pai revelou os segredos do Reino, mas aos humildes de coração, àqueles que dispõe do seu coração qualquer soberba e orgulho, e o abrem para contemplar as manifestações de Deus no meio de nós.
    Deixe-me dizer ao seu coração: onde está a mão de Deus, que não a vejo? Onde está a graça de Deus quando me toca? Onde estão os prodígios de Deus que as pessoas exultam e eu não consigo ver? Felizes os humildes, os bem-aventurados, aqueles que estão na humildade de coração, porque são esses que contemplam a glória, a ação, a graça de Deus agindo no meio de nós!
    O problema não é a mão de Deus, que não está agindo, o problema é o nosso coração que não se despiu, não se revestiu de graça e humildade. Se não lapidarmos esse coração, se não o tirarmos daquelas disputas humanas e pretensões covardes, as quais, muitas vezes, a humanidade nos impõe, não conseguiremos ver o Reino de Deus, as graças d’Ele acontecendo.
    Jesus, agindo no meio de Seu povo, fez graças, prodígios, milagres, mas muitos não puderam tocar, ver e contemplar. Mesmo aqueles milagres que foram feitos à vista de muitos, não passou de fatores humanos para alguns, porque não estavam revestidos com o olhar da fé, sobretudo, com a humildade que os une aos desígnios de Deus, a graça d’Ele acontecendo no meio de nós.
    Amados irmãos, o Reino de Deus está acontecendo, Ele está no meio de nós. Precisamos nos revestir da graça para vê-lo acontecendo! Precisamos mudar essa mentalidade, essa maneira de enxergarmos a vida. Não podemos continuar enxergando as coisas somente pela nossa maneira de ver, porque essa maneira é, às vezes, revestida de elementos que vamos adquirindo ao longo da história, da vida; eles são fantasiosos, enganosos e mentirosos, revestidos de ilusão e, acima de tudo, de pretensões humanas.
    Quando colocamos nossas pretensões humanas à nossa frente, não conseguimos tocar na graça de Deus. Essa sim [graça de Deus] cura a nossa humanidade, coloca a nossa humanidade na sintonia e na graça do divino. Permita que seus olhos vejam, que contemplem!
    Você pode olhar para uma pessoa e ver nela ódio, rancor, ressentimento e raiva. Escuto tantas vezes as pessoas dizerem: “Eu não vou com a cara daquela pessoa!”. O problema não é a cara da pessoa, o problema é o nosso olhar, é a maneira como olhamos para o outro.
    Você pode olhar para uma pessoa jogada, prostrada no chão e dizer que é um bandido, que é alguém que não deu valor à vida, mas você também pode olhar para ela com o olhar de Deus e dizer: “É Jesus quem está ali, precisando de mim e dos meus cuidados!”.
    O problema não é aquilo que vemos, mas o que o nosso olhar capta. Se o nosso olhar se reveste da graça, veremos a graça de Deus acontecendo no meio de nós; mas se estamos com o olhar obcecado pela amargura, pelos ressentimentos, pela visão secularista e mundana, vamos ver as pessoas, as coisas, o mundo, a vida a partir disso.
    Se nossa visão de vida é baseada apenas em valores ou cifras econômicas, podemos perceber que tudo o que olhamos é visto com o olhar de avareza, de posse e dinheiro. Se nosso olhar é revestido da humildade cristã, é revestido do olhar de Cristo, você olha para coisas com amor e caridade, e é capaz de enxergar a presença de Deus mesmo em meio à coisas desastrosas que não entendemos nem compreendemos.
    O que transforma nosso mundo, sobretudo o mundo interior que há em nós, é o olhar, a visão que temos. Precisamos deixar que Deus ilumine nosso olhar  para contemplarmos o Seu Reino presente no meio de nós!
    Deus abençoe você!

    Nenhum comentário :

    Twitter

    -->

    Culture