• Notícias de Última Hora

    quarta-feira, 9 de novembro de 2016

    Liturgia da Palavra de hoje (9)

    Primeira Leitura (Ez 47,1-2.8-9.12)
    Leitura da Profecia de Ezequiel.
    Naqueles dias, 1o homem fez-me voltar até a entrada do Templo e eis que saía água da sua parte subterrânea na direção leste, porque o Templo estava voltado para o oriente; a água corria do lado direito do Templo, a sul do altar. 2Ele fez-me sair pela porta que dá para o norte, e fez-me dar uma volta por fora, até à porta que dá para o leste, onde eu vi a água jorrando do lado direito. 8Então ele me disse: “Estas águas correm para a região oriental, descem para o vale do Jordão, desembocam nas águas salgadas do mar, e elas se tornarão saudáveis. 9Onde o rio chegar, todos os animais que ali se movem poderão viver. Haverá peixes em quantidade, pois ali desembocam as águas que trazem saúde; e haverá vida aonde chegar o rio. 12Nas margens junto ao rio, de ambos os lados, crescerá toda espécie de árvores frutíferas; suas folhas não murcharão e seus frutos jamais se acabarão: cada mês darão novos frutos, pois as águas que banham as árvores saem do santuário. Seus frutos servirão de alimento e suas folhas serão remédio”.
    — Palavra do Senhor.
    — Graças a Deus.

    Responsório (Sl 45)
    — Os braços de um rio vêm trazer alegria à Cidade de Deus, à morada do Altíssimo.
    — Os braços de um rio vêm trazer alegria à Cidade de Deus, à morada do Altíssimo.
    — O Senhor para nós é refúgio e vigor, sempre pronto, mostrou-se um socorro na angústia; assim não tememos, se a terra estremece, se os montes desabam, caindo nos mares.
    — Os braços de um rio vêm trazer alegria à Cidade de Deus, à morada do Altíssimo. Quem a pode abalar? Deus está no seu meio! Já bem antes da aurora, ele vem ajudá-la.
    — Conosco está o Senhor do universo! O nosso refúgio é o Deus de Jacó. Vinde ver, contemplai os prodígios de Deus e a obra estupenda que fez no universo: reprime as guerras na face da terra.

    Evangelho (Jo 2,13-22)
    — O Senhor esteja convosco.
    — Ele está no meio de nós.
    — PROCLAMAÇÃO do Evangelho de Jesus Cristo + segundo João.
    — Glória a vós, Senhor.
    13Estava próxima a Páscoa dos judeus e Jesus subiu a Jerusalém. 14No Templo, encontrou os vendedores de bois, ovelhas e pombas e os cambistas que estavam aí sentados. 15Fez então um chicote de cordas e expulsou todos do Templo, junto com as ovelhas e os bois; espalhou as moedas e derrubou as mesas dos cambistas. 16E disse aos que vendiam pombas: “Tirai isto daqui! Não façais da casa de meu Pai uma casa de comércio!” 17Seus discípulos lembraram-se, mais tarde, que a Escritura diz: “O zelo por tua casa me consumirá”. 18Então os judeus perguntaram a Jesus: “Que sinal nos mostras para agir assim?” 19Ele respondeu: “Destruí este Templo, e em três dias o levantarei”. 20Os judeus disseram: “Quarenta e seis anos foram precisos para a construção deste santuário e tu o levantarás em três dias?” 21Mas Jesus estava falando do Templo do seu corpo. 22Quando Jesus ressuscitou, os discípulos lembraram-se do que ele tinha dito e acreditaram na Escritura e na palavra dele.

    — Palavra da Salvação.
    — Glória a vós, Senhor.

    Homilia

    Hoje, celebramos a Dedicação da Basílica do Latrão, a catedral de Roma, onde o Santo Padre precede a Igreja de Roma, a mãe de todas as igrejas.
    Lembrando dessa Igreja Mãe, a Igreja de Latrão lembra-nos de cada igreja, capela, santuário, lugar do nosso encontro com Deus. Como nossas igrejas merecem respeito, consideração e veneração, merecem ser cuidadas da melhor maneira possível!
    Essa é uma das poucas situações em que vemos Jesus bravo, porque estão transformando a casa de Seu Pai numa casa de comércio, fazendo negócios, trocando animais, estão vendendo isso e aquilo. A igreja, o templo, não são lugares para isso!
    Templo é um lugar sagrado, lugar de encontro com Deus. Lembremos a Escritura quando o salmista diz: “O zelo pela tua casa me consome!” (João 2,17).
    Sabe, meus irmãos, quem tem zelo pelas coisas de Deus, quem tem amor pelas coisas divinas, amor para com o Senhor, precisa ter zelo pela casa d’Ele. E o zelo pela casa de Deus não é a igreja somente, porque o templo exterior é reflexo do interior, que somos nós.
    Como é difícil fazermos silêncio em nossa casa nos dias de hoje! Não coloquemos a culpa nas crianças, nisso ou naquilo. A culpa, muitas vezes, vem de nós mesmos, pois não sabemos viver sem esses elementos, sem as redes sociais etc. Somos nós quem vivemos uma inquietação interior, que levamos bolsas demais para nossas igrejas. Somos nós que não esvaziamos o nosso interior, para que Deus nos preencha. Já estamos cheios demais de coisas na cabeça e no coração, e não sabemos silenciar, ter zelo por nossa alma e coração.
    Esse é um aspecto importante: igreja é sinal de silêncio, pois é no silêncio que Deus habita e fala conosco. Igreja é casa de oração. Impossível pensar que vamos a uma igreja, um templo ou uma capela, para nos encontrarmos com Deus e não rezamos. Estamos com a mente em devaneios, estamos voando, com a mente ocupada de tantas coisas, e não colocamos a nossa cabeça em Deus.
    Igreja não é lugar de vaidades nem de desfiles. Imagino que você deva ter a melhor roupa para ir à casa de Deus, mas lá não é lugar de desfilar suas roupas, não é lugar para desfilar aquilo que comprou ou ganhou. É preciso ter discrição, porque não vamos até lá para chamar à atenção sobre nós, mas para sermos chamados à atenção por Deus, para que Ele fale conosco, fale ao nosso coração.
    Se quisermos crescer na intimidade com Deus, precisaremos ter o zelo que Jesus teve pela Sua casa; devemos ter zelo e amor para com a nossa relação com Deus!
    Quanto mais zelosos e respeitosos formos, mais vivermos essa intimidade com Deus em Sua casa, mais crescerá a nossa relação com Ele.

    Deus abençoe você!

    Nenhum comentário :

    Twitter

    -->

    Culture