• Notícias de Última Hora

    quinta-feira, 8 de dezembro de 2016

    A peso de ouro - Quem se disporia a pagar 1.000 euros por um quilo do queijo feito com leite de jumenta? Pois a Sérvia tem um que custa isso

    Queijo Pule: além de ser o mais raro e caro do mundo,
    é iguaria ao nível do caviar (Marco Djurica/Reuters)
    A humanidade faz queijo com leite de vaca, búfala, cabra e ovelha há muitos séculos. Tem sido assim desde o período Paleolítico, também conhecido como Idade da Pedra Lascada, sitiado entre 2 milhões a.C. até 10.000 a.C., quando domesticamos os animais e aprendemos a ordenhá-los.
    Pois hoje existe queijo feito com o leite da jumenta, burra ou asna. Promovido à condição de iguaria, junto com o caviar, o foie gras e a trufa branca, o preço do seu quilo no mercado internacional começa em 1.000 euros (o equivalente a três mil e seiscentos reais). Nome do precioso laticínio: Pule Cheese, em português Queijo Pule. Debutou em 2012, na Feira de Turismo de Belgrado, capital da Sérvia.
    Ordenha da jumenta: cada animal dá no máximo
     1,3 litros de leite por dia (Marko Djurica/Reuters)
    É feito a 80 quilômetros daquela cidade, na Reserva Natural de Zasavica, uma planície assinalada pela beleza e paz, com 1825 hectares de área fechada, centenas de plantas e animais protegidos, algo afortunado em um país de tantas guerras. Mas o que o Queijo Pule tem de especial? Suas características organolépticas, ou seja, que impressionam os sentidos. A cor é muito branca, a textura granulosa e quebradiça, a maturação reduzida, o sabor salgado. Também não é fácil elaborá-lo.
    Os produtores ordenham a jumenta com a mão, tirando pouquíssimo leite. São no máximo 1,3 litros por dia, por cerca de 6 ou 7 meses – uma vaca produz entre 15 e 22 litros no mesmo período. Trata-se de uma diferença enorme. Acrescente-se serem necessários por volta de 10 litros para se fazer um quilo de queijo.

    Nenhum comentário :

    Twitter

    -->

    Culture