Cremern sugere que Estado decrete calamidade na saúde



O Conselho Regional de Medicina do Rio Grande do Norte (Cremern) sugeriu ao Governo do Estado que decrete calamidade pública na saúde. A sugestão foi dada na Justiça Federal durante audiência de instrução e julgamento na ação movida pelo Cremern contra o Estado que pede a implementação de 10 leitos de UTI, nas cidades de Caicó, Currais Novos e Pau dos Ferros, além de 60 leitos para Natal. O Governador Robinson Faria, que foi solicitado a participar, mandou representantes.


A audiência na Justiça Federal foi conduzida pela juíza da quarta vara, Gisele Maria da Silva Araújo Leite. Ela determinou uma nova audiência para o dia 30 de janeiro de 2017, quando o Governo do Estado deve apresentar um plano de ação para que sejam instalados os leitos de UTI nas cidades de Caicó, Currais Novos e Pau dos Ferros, além dos 60 leitos na capital.Os representantes do Governo do Estado apresentaram as dificuldades financeiras como principal motivo para não instalar os leitos de UTI. O Cremern sugeriu então o decreto de calamidade pública, o que poderia ajudar na vinda de recursos federais para o estado, mas o Governo não acatou a sugestão.

O Cremern foi representado pelo assessor jurídico, advogado Klevelando Santos, tendo o presidente Marcos Lima de Freitas também presente. O Governo do Estado teve como representantes: A Chefe da Casa Civil, Tatiana Mendes Cunha, o secretário de Saúde, George Antunes, o secretário do Planejamento, Gustavo Figueiras, além do Procurador do Estado, João Carlos Gomes. Também participou da audiência o secretário de Saúde de Natal, Luiz Roberto Fonseca.
Cremern sugere que Estado decrete calamidade na saúde Cremern sugere que Estado decrete calamidade na saúde Reviewed by Ericson Matheus on dezembro 14, 2016 Rating: 5

Nenhum comentário

Teste Teste Teste Teste

Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste