Crise na saúde pública do RN é debatida em audiência pública


Por iniciativa do deputado Kelps Lima (Solidariedade), a Assembleia Legislativa promoveu audiência pública com o tema “Crise na Saúde Pública e Atraso Salarial dos Trabalhadores”, na manhã desta segunda-feira (19). O debate reuniu representantes dos servidores da saúde, das categorias médica e das áreas de Saúde e sociedade civil.

Representante da administração pública presente na audiência, o secretário estadual de Saúde Pública, George Antunes, afirmou que o principal problema da saúde no estado é financeiro. “A troca de gestores em um intervalo muito curto, causa um desarranjo administrativo sem precedentes. Lembrando ainda do déficit de recursos humanos em vários setores e, claro, a condição financeira do estado. Finalizo com o pedido que sempre faço ao governador: para corresponder ao esforço que os servidores fazem para oferecer a saúde que os servidores merecem”, disse George Antunes.

Propositor da audiência, o deputado Kelps Lima parabenizou os profissionais da saúde pela atuação e comprometimento com o trabalho. “Trabalhar na atual situação exige um esforço pessoal absurdo. O profissional da saúde merece toda a atenção que se possa dar”, disse.

O presidente do Sindicato dos Médicos, Geraldo Ferrreira, descreveu a situação da saúde como dramática. “Chegamos ao ponto de profissionais pedirem afastamento por depressão. Crise financeira existe, mas falta do governador e do prefeito uma priorização para o setor. É preciso que a população entenda que a greve não é para maltratar o povo. O povo é maltratado diariamente pela falta de recursos, pelo desabastecimento”, disse. Os médicos do município de Natal estão em greve desde o mês de outubro deste ano.

Outro representante da classe médica, Marcos Lima, presidente do Conselho Regional de Medicina, teme pelo futuro do setor a partir do próximo ano. “Pedimos que os deputados reavaliem a redução do orçamento para a Saúde. Se a situação já é complicada hoje, imagine tirando R$ 400 milhões no próximo ano. Vamos buscar soluções para essa situação que é complicada e caótica”, disse.

A diretora do Sindicato dos Servidores em Saúde do RN (Sindsaúde RN), Rosália Fernandes, destacou que o objetivo principal dessa paralisação não é o reajuste salarial. “É uma greve que luta contra a falta de condições de trabalho. Vivemos um completo descaso e abandono por parte do Governo do Estado em relação à saúde. O Governo não deixa de pagar as parcelas da Arena das Dunas, mas deixa de investir na saúde. É uma inversão de prioridades”, criticou.

O prefeito de Olho D’Água dos Borges, Breno Queiroga, participou do debate e citou a integração e a informatização das unidades de saúde como uma solução. “A implantação da rede de urgência e emergência nos municípios auxiliaria em muitos aspectos. É preciso um pequeno esforço de gestão e implantação de comunicação”, disse.

Enfática, a promotora de justiça e coordenadora do CAOP Saúde, Iara Pinheiro, não vê a situação atual da saúde como um estado de crise. “A realidade é essa: ruim. A nossa realidade é essa de má prestação de serviços. A definição de crise é para uma situação que depois se equaciona. Mas o que temos é uma realidade perene. Resta-nos debater os motivos para sair de uma situação ruim para uma um pouco melhor, sem imaginar que um dia se chegará numa ideal”, defendeu.

A questão da Saúde Pública no RN vem sendo continuamente debatida na Casa, em plenário ou audiências públicas, em busca de soluções para o setor.
Portal Assembleia Legislativa do RN
Crise na saúde pública do RN é debatida em audiência pública Crise na saúde pública do RN é debatida em audiência pública Reviewed by Ricardo Adriano on dezembro 19, 2016 Rating: 5

Nenhum comentário

Teste Teste Teste Teste

Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste