• Notícias de Última Hora

    sexta-feira, 30 de dezembro de 2016

    Liturgia da Palavra de hoje (30)

    Primeira Leitura (1Jo 2,3-11)
    Leitura da Primeira Carta de São João.
    Caríssimos, 3para saber que conhecemos Jesus, vejamos se guardamos os seus mandamentos. 4Quem diz: “Eu conheço a Deus”, mas não guarda os seus mandamentos, é mentiroso, e a verdade não está nele. 5Naquele, porém, que guarda a sua palavra, o amor de Deus é plenamente realizado. O critério para sabermos se estamos com Jesus é este: 6quem diz que permanece nele, deve também proceder como ele procedeu.
    7Caríssimos, não vos comunico um mandamento novo, mas um mandamento antigo, que recebestes desde o início; este mandamento antigo é a palavra que ouvistes. 8No entanto, o que vos escrevo é um mandamento novo – que é verdadeiro nele e em vós – pois que as trevas passam e já brilha a luz verdadeira. 9Aquele que diz estar na luz, mas odeia o seu irmão, ainda está nas trevas. 10O que ama o seu irmão permanece na luz e não corre perigo de tropeçar. 11Mas o que odeia o seu irmão está nas trevas, caminha nas trevas, e não sabe aonde vai, porque as trevas ofuscaram os seus olhos.

    - Palavra do Senhor.
    - Graças a Deus.

    Responsório (Sl 95)
    — O céu se rejubile e exulte a terra!
    — O céu se rejubile e exulte a terra!
    — Cantai ao Senhor Deus um canto novo, cantai ao Senhor Deus, ó terra inteira! Cantai e bendizei seu santo nome!
    — Dia após dia anunciai sua salvação, manifestai a sua glória entre as nações, e entre os povos do universo seus prodígios!
    — Foi o Senhor e nosso Deus quem fez os céus: diante dele vão a glória e a majestade, e o seu templo, que beleza e esplendor!

    Evangelho (Lc 2,22-35)
    — O Senhor esteja convosco.
    — Ele está no meio de nós.
    — Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo Lucas.
    — Glória a vós, Senhor.
    22Quando se completaram os dias para a purificação da mãe e do filho, conforme a Lei de Moisés, Maria e José levaram Jesus a Jerusalém, a fim de apresentá-lo ao Senhor. 23Conforme está escrito na Lei do Senhor: “Todo primogênito do sexo masculino deve ser consagrado ao Senhor”. 24Foram também oferecer o sacrifício – um par de rolas ou dois pombinhos – como está ordenado na Lei do Senhor. 25Em Jerusalém, havia um homem chamado Simeão, o qual era justo e piedoso, 26e esperava a consolação do povo de Israel. O Espírito Santo estava com ele e lhe havia anunciado que não morreria antes de ver o Messias que vem do Senhor.
    27Movido pelo Espírito, Simeão veio ao Templo. Quando os pais trouxeram o menino Jesus para cumprir o que a Lei ordenava, 28Simeão tomou o menino nos braços e bendisse a Deus: 29 “Agora, Senhor, conforme a tua promessa, podes deixar teu servo partir em paz; 30porque meus olhos viram a tua salvação, 31que preparaste diante de todos os povos: 32luz para iluminar as nações e glória do teu povo Israel”.
    33O pai e a mãe de Jesus estavam admirados com o que diziam a respeito dele. 34Simeão os abençoou e disse a Maria, a mãe de Jesus: “Este menino vai ser causa tanto de queda como de reerguimento para muitos em Israel. Ele será um sinal de contradição. 35Assim serão revelados os pensamentos de muitos corações. Quanto a ti uma espada te transpassará a alma”.

    — Palavra da Salvação.
    — Glória a vós, Senhor.

    Homilia
    Hoje, celebramos a Festa da Sagrada Família: Jesus, Maria e José. Deus quis viver no meio de nós, Ele quis ter uma família. Deus é uma família no Céu, é o Pai, o Filho e o Espírito Santo. O céu também veio habitar no meio de nós vivendo numa família, a qual chamamos Sagrada Família, mas é importante dizer a você que toda família é sagrada e preciosa aos olhos de Deus, por isso precisamos assumir, a cada dia, o valor sagrado e essencial que ela tem. O bem mais precioso e sacro que a humanidade tem se chama: família.
    Como precisamos cuidar das nossas famílias, dar o melhor de nós para que elas sejam santas, iluminadas, abençoadas e benditas!
    Deus quis resgatar a humanidade formando uma família, para que todas elas fossem cuidadas no coração d’Ele. Por isso, dê atenção àquilo que sua família precisa, para que ela seja cada vez mais sagrada segundo os desígnios de Deus.
    A leitura do dia de hoje, no Livro do Eclesiástico, traz para nós alguns elementos importantes, que não podem ser desprezados na vivência de uma família. Eu destaco, sobretudo, o respeito que deve haver dos pais para com os filhos e dos filhos para com os pais.
    O bom filho é aquele que honra seu pai e sua mãe, é aquele que lhes deve respeito e obediência, mesmo que seus eles tenham defeitos, limites, coisas que todos nós temos. Muitas vezes, queremos que os outros tolerem nossos limites, mas não temos paciência para tolerar os defeitos e limites dos nossos.
    Temos que vencer aquela impetuosidade que o mundo gera em nós de perdermos a paciência, a tolerância, o respeito e o cuidado para com os nossos pais. Quem honra seu pai e sua mãe está honrando e respeitando Deus. O quarto mandamento não pode ser negligenciado, é nossa responsabilidade cuidar dos nossos pais, amá-los e respeitá-los até o último dia da nossa vida.
    Do outro lado, é muito importante que os pais saibam também respeitar, amar, cuidar e dar a atenção que os filhos merecem. que não queiram somente receber respeito, mas saibam respeitar, cuidar dos filhos e ter para com eles as responsabilidades próprias de um pai e de uma mãe.
    Não irrite seus filhos, não queira ser um pai e uma mãe autoritários. O excesso de autoritarismo gera muitos traumas, ressentimentos e mágoas. Aliás, a graça que Deus quer nos dar, no dia de hoje, é superarmos todos os traumas que adquirimos dentro da nossa própria casa. O ideal é que cada família seja um nicho de amor, cuidado e ternura. Nem sempre isso é possível ser vivido na plenitude, pois há os arranhões, as dificuldades, o próprio relacionamento.
    A família começa entre marido e mulher, e esse encaixe nem sempre acontece da melhor maneira. O mais bonito é que em Deus tudo se supera, a vida nova acontece cada vez que pedimos e permitimos que Ele renove nossas casas e nossas famílias.
    Deus quer que sua família seja sagrada sempre mais, seja sempre mais santa. É preciso permitir que a santidade de Deus purifique, renove os sentimentos familiares que ficaram manchados, marcados por traumas, ressentimentos e coisas negativas. É preciso que a luz de Jesus, que nasceu para nos salvar, traga luz para que as famílias sejam cada vez mais santas e sagradas. Diga comigo: “A minha família é uma bênção de Deus!”.
    Deus abençoe você!

    Nenhum comentário :

    Twitter

    -->

    Culture