RS: pacote anticrise deixa 1.220 servidores sem emprego na véspera do natal

60 anos e desempregado às vésperas do natal
O técnico em recursos humanos Fernando Pizzato, 60, está prestes a se aposentar. Depois de contribuir para a Previdência por 34 anos e cinco meses, 33 dos quais na Fundação para o Desenvolvimento dos Recursos Humanos do Rio Grande do Sul (FDRH), programou "pendurar as chuteiras" em julho de 2017 – mas não contava com uma pedra enorme no meio do caminho. Na madrugada desta quarta-feira (21), a Assembleia Legislativa do Estado aprovou a extinção da fundação, prevista no pacote de ajuste enviado pelo governador José Ivo Sartori (PMDB) ao legislativo em novembro. O PL 240, que extinguiu outras sete fundações estaduais de ciência e cultura, deve provocar a demissão de 1.200 servidores.

"Muita besteira já passou pela minha cabeça nos últimos dias. Sinceramente, não sei o que vou fazer. Pensei até em ser motorista do Uber. A tristeza é grande, mas vou continuar com o pé no chão", contou o servidor, que ingressou na fundação em dezembro de 1983. 
Fernando e outros 79 funcionários celetistas do órgão deverão ser desligados em até 180 dias depois da sanção do projeto pelo governador, que deve ocorrer ainda em 2016. Segundo a Federação Sindical dos Servidores do Estado do Rio Grande do Sul (Fessergs), as despesas das oito fundações extintas significam uma economia de 0,28% no total das despesas do governo. 
RS: pacote anticrise deixa 1.220 servidores sem emprego na véspera do natal RS: pacote anticrise deixa 1.220 servidores sem emprego na véspera do natal Reviewed by Ricardo Adriano on dezembro 22, 2016 Rating: 5

Nenhum comentário

Teste Teste Teste Teste

Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste