Liturgia da Palavra de hoje (12)

Primeira Leitura (Hb 3,7-14)
Leitura da Carta aos Hebreus.
Irmãos, 7escutai o que declara o Espírito Santo: “Hoje, se ouvirdes a sua voz, 8não endureçais os vossos corações, como aconteceu na provocação, no dia da tentação, no deserto, 9onde vossos pais me tentaram, pondo-me à prova, 10embora vissem as minhas obras, durante quarenta anos.
Por isso me irritei com essa geração e afirmei: sempre se enganam no coração e desconhecem os meus caminhos. 11Assim jurei na minha ira: não entrarão no meu repouso”. 12Cuidai, irmãos, que não se ache em algum de vós um coração transviado pela incredulidade, levando-o a afastar-se do Deus vivo. 13Antes, animai-vos uns aos outros, dia após dia, enquanto ainda se disser “hoje”, para que nenhum de vós se endureça pela sedução do pecado – 14pois tornamo-nos companheiros de Cristo, contanto que mantenhamos firme até o fim a nossa confiança inicial.

- Palavra do Senhor.
- Graças a Deus.

Responsório (Sl 94)
— Oxalá ouvísseis hoje a sua voz: não fecheis os vossos corações.
— Oxalá ouvísseis hoje a sua voz: não fecheis os vossos corações.
— Vinde adoremos e prostremo-nos por terra, e ajoelhemos ante o Deus que nos criou! Porque ele é o nosso Deus, nosso Pastor, e nós somos o seu povo e seu rebanho, as ovelhas que conduz com sua mão.
— Oxalá ouvísseis hoje a sua voz: “Não fecheis os corações como em Meriba, como em Massa, no deserto, aquele dia, em que outrora vossos pais me provocaram, apesar de terem visto as minhas obras”.
— Quarenta anos desgostou-me aquela raça e eu disse: “Eis um povo transviado, seu coração não conheceu os meus caminhos!” E por isso lhes jurei na minha ira: “Não entrarão no meu repouso prometido!”

Evangelho (Mc 1,40-45)
— O Senhor esteja convosco.
— Ele está no meio de nós.
— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo Marcos.
— Glória a vós, Senhor.
Naquele tempo, 40um leproso chegou perto de Jesus, e de joelhos pediu: “Se queres, tens o poder de curar-me”. 41Jesus, cheio de compaixão, estendeu a mão, tocou nele, e disse: “Eu quero: fica curado!” 42No mesmo instante, a lepra desapareceu, e ele ficou curado.
43Então Jesus o mandou logo embora, 44falando com firmeza: “Não contes nada disso a ninguém! Vai, mostra-te ao sacerdote e oferece, pela tua purificação, o que Moisés ordenou, como prova para eles!”
45Ele foi e começou a contar e a divulgar muito o fato. Por isso Jesus não podia mais entrar publicamente numa cidade: ficava fora, em lugares desertos. E de toda parte vinham procurá-lo.

— Palavra da Salvação.
— Glória a vós, Senhor.

Homilia
Em primeiro lugar, o cuidado é para conosco, é para com o nosso coração, para com a nossa vida, nosso ânimo, interior e vontade. Se deixarmos a incredulidade e o desânimo tomarem conta de nós, vamos nos afastar do Deus vivo, mas, na verdade, precisa acontecer o contrário: quanto mais nos sentimos cansados, desanimados, desapontados e desencorajados, é que precisamos nos aproximar deste Deus vivo!
Se nos deixarmos desviar, a incredulidade vai tomar conta de nós e nos afastar, distanciar-nos de Deus, de modo que vamos perder Sua graça aos poucos. Que não se ache entre nós alguém assim, mas, uma vez que se ache, precisamos ter força e ânimo uns para com os outros, para não deixarmos ninguém se desviar pela incredulidade, pela falta de fé e ânimo, sobretudo pelas decepções.
Quem de nós nunca decepcionou e não foi decepcionado nesta vida? Quando as decepções tomam conta de nós, vamos perdendo o alento e a força interior. E quando essas forças interiores vão se alardeando dentro do nosso coração, vamos realmente nos extraviando da fé, desviando-nos do caminho e nos afastando do Deus da vida.
O pior que pode nos acontecer é o nosso coração endurecer. O nosso coração fica duro, insensível ao toque e à realidade da graça. A Palavra de Deus vem até nós, mas não surte efeito; isso não quer dizer que ela não tenha poder para fazer efeito em nossa vida, é porque o nosso coração colocou uma barreira tão grande e está tão tomado pela incredulidade, que é incapaz de se deixar sensibilizar pela graça divina.
Não podemos nos permitir ser tomados por esses sentimentos. O que, então, devemos fazer? Em primeiro lugar, cuidar da nossa fé, alimentá-la, colocá-la como prioridade em nossa vida.
A oração, a leitura da Palavra de Deus, a confissão constante e a vida de comunhão com o Senhor, a busca de ajuda e socorro, a vida comunitária na partilha da Palavra de Deus e na participação da Eucaristia são elementos principais para vivermos a nossa comunhão com Ele.
Não permitamos que a comunhão com Deus seja apenas exterior, pois se assim for, será um erro, um engano, e, de fato, vamos aos poucos perdendo o senso da fé. A comunhão com Deus acontece dentro do nosso coração, quando vivemos uma relação íntima e pessoal com Ele a cada dia.
Comuniquemo-nos com Deus e O escutemos todos os dias, escutemos Sua Palavra e direção. Quando nos submetemos a Deus, quando nos entregamos a Ele de corpo, alma e coração, Sua presença cuida de nós e não permite que nosso coração se desvie, afaste-se por nenhuma incredulidade!
Deus abençoe você!
Liturgia da Palavra de hoje (12) Liturgia da Palavra de hoje (12) Reviewed by Ricardo Adriano on janeiro 12, 2017 Rating: 5

Nenhum comentário

Teste Teste Teste Teste

Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste