Liturgia da Palavra de hoje (5)

Primeira Leitura (1Jo 3,11-21)
Leitura da Primeira Carta de São João.
11Caríssimos: Esta é a mensagem que ouvistes desde o início: que nos amemos uns aos outros, 12não como Caim, que, sendo do Maligno, matou o seu irmão. E por que o matou? Porque as suas obras eram más, ao passo que as do seu irmão eram justas. 13Não vos admireis, irmãos, se o mundo vos odeia. 14Nós sabemos que passamos da morte para a vida, porque amamos os irmãos. Quem não ama permanece na morte. 15Todo aquele que odeia o seu irmão é um homicida. E vós sabeis que nenhum homicida conserva a vida eterna dentro de si. 16Nisto conhecemos o amor: Jesus deu a sua vida por nós. Portanto, também nós devemos dar a vida pelos irmãos. 17Se alguém possui riquezas neste mundo e vê o seu irmão passar necessidade, mas, diante dele fecha o seu coração, como pode o amor de Deus permanecer nele?
18Filhinhos, não amemos só com palavras e de boca, mas com ações e de verdade! 19Aí está o critério para saber que somos da verdade e para sossegar diante dele o nosso coração, 20pois se o nosso coração nos acusa, Deus é maior que o nosso coração e conhece todas as coisas. 21Caríssimos, se o nosso coração não nos acusa, temos confiança diante de Deus.

- Palavra do Senhor.
- Graças a Deus.

Responsório (Sl 99)
— Aclamai o Senhor, ó terra inteira!
— Aclamai o Senhor, ó terra inteira!
— Aclamai o Senhor, ó terra inteira, servi ao Senhor com alegria, ide a ele cantando jubilosos!
— Sabei que o Senhor, só ele, é Deus. Ele mesmo nos fez, e somos seus, nós somos seu povo e seu rebanho.
— Entrai por suas portas dando graças, e em seus átrios com hinos de louvor; dai-lhe graças, seu nome bendizei!
— Sim, é bom o Senhor e nosso Deus, sua bondade perdura para sempre, seu amor é fiel eternamente!

Evangelho (Jo 1,43-51)
— O Senhor esteja convosco.
— Ele está no meio de nós.
— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo João.
— Glória a vós, Senhor.
Naquele tempo, 43Jesus decidiu partir para a Galileia. Encontrou Filipe e disse: “Segue-me”. 44Filipe era de Betsaida, cidade de André e de Pedro. 45Filipe encontrou-se com Natanael e lhe disse: “Encontramos aquele de quem Moisés escreveu na Lei, e também os profetas: Jesus de Nazaré, o filho de José”. 46Natanael disse: “De Nazaré pode sair coisa boa?” Filipe respondeu: “Vem ver!” 47Jesus viu Natanael que vinha para ele e comentou: “Aí vem um israelita de verdade, um homem sem falsidade”. 48Natanael perguntou: “De onde me conheces?” Jesus respondeu: “Antes que Filipe te chamasse, enquanto estavas debaixo da figueira, eu te vi”.
49Natanael respondeu: “Rabi, tu és o Filho de Deus, tu és o Rei de Israel”. 50Jesus disse: “Tu crês porque te disse: Eu te vi debaixo da figueira? Coisas maiores que esta verás!” 51E Jesus continuou: “Em verdade, em verdade, eu vos digo: Vereis o céu aberto e os anjos de Deus subindo e descendo sobre o Filho do Homem”.

— Palavra da Salvação.
— Glória a vós, Senhor.

Homilia
Esses dias, li uma triste notícia que dizia que só na cidade de São Paulo, a cada 30 minutos, morre uma pessoa por causa do ódio. Isso nos leva a ver que, no mundo inteiro, pelo menos uma pessoa morre a cada minuto por causa do ódio presente no coração das pessoas. Há ódios terríveis e grandes, mas há ódios desconhecidos e assimilados guardados dentro de nós que nos levam a ser também homicidas.
Quando guardamos rancor e ressentimento, e esses sentimentos negativos não são cuidados, não são combatidos dentro do nosso interior e da nossa alma, eles crescem e, muitas vezes, são alimentados por mais coisas negativas que ouvimos aqui e acolá; ou que a nossa mente fantasia, de modo que se alguém nos machucou e nos feriu profundamente, alimentamos um sentimento muito ruim em relação àquela pessoa.
Permita-me dizer ao seu coração: o ódio não é de Deus. Isso pode até parecer redundante, mas, infelizmente, nós não tomamos consciência dessa verdade e deixamos a força do ódio crescer dentro do nosso interior.
Combatamos, com todas as forças da nossa alma, tudo aquilo que provoca ódio dentro de nós em relação à pessoa do próximo.
Por maiores que sejam as feridas, as cicatrizes, as marcas que ficaram em nosso coração, o ódio só nos faz mal. Primeiro, porque a força do ódio cega a nossa própria visão interior, permite-nos ficar cegos em relação à verdade. Só conseguimos falar mal de quem odiamos, só conseguimos ver coisas ruins da pessoa de quem carregamos ódio. Isso faz com que nós enxerguemos, falemos, proclamemos e passemos para outros aquilo que está ruim dentro de nós. Esse é outro mal, porque ficamos muito ruins por dentro, nasce dentro de nós uma força tão negativa, maligna e terrível que é na verdade um verdadeiro câncer.
Não pense que é só aquele câncer que mata, porque ele é fruto do câncer interior que carregamos dentro de nós. Esse câncer destrói nossa alma e nosso interior, porque nenhum homicida conserva em si a vida eterna. Vamos matando as sementes de eternidade que há dentro de nós quando permitimos que o ódio cresça.
Irmãos, não amemos só com palavras, mas com ações de verdade. Não basta somente não odiar, é preciso também e, acima de tudo, amar. A única força capaz de vencer o ódio, o ressentimento, o rancor e a mágoa dentro de nós é o amor.
Esforcemo-nos e lutemos para que o amor seja uma prática concreta em nossa vida. Vamos revisar a nossa vida no início de mais um ano e perceber onde amamos. Você pode dizer: “Eu já amo meus filhos e meu marido!”. O amor é muito mais do que isso, nem posso imaginar que não esteja amando os seus!
Ame-os com muita profundidade, mas o amor é muito mais universal, abrange muitas situações, sobretudo, a de amarmos aqueles a quem, muitas vezes, não queremos bem ou não nos querem bem. É esse amor que vem do coração de Deus!
Deus abençoe você!
Liturgia da Palavra de hoje (5) Liturgia da Palavra de hoje (5) Reviewed by Ricardo Adriano on janeiro 05, 2017 Rating: 5

Nenhum comentário

Teste Teste Teste Teste

Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste