Comandante nega 'paredão humano' em Alcaçuz: 'se abrir as mãos, morreu'

Coronel André Azevedo, comandante da Polícia Militar do RN (Foto: Reprodução/InterTV)
O comandante-geral da Polícia Militar do Rio Grande do Norte, coronel André Azevedo, afirmou ao G1 nesta sexta-feira (20) que não havia intenção da corporação de fazer um "paredão humano" para separar facções criminosas na Penitenciária Estadual de Alcaçuz, na Grande Natal. O coronel contradisse a fala do governador do Rio Grande do Norte, Robinson Faria (PSD), que deu entrevista à GloboNews  nesta quinta (19).
"Paredão humano, ele [governador] já se desculpou. Ele recebeu uma informação não técnica. Não existe. Lá existe arma de fogo. Polícia, se abrir as mãos, morreu", disse o comandante. "Nós, para entrarmos, temos que fazer uma operação complexa, planejada, que envolve muitos materiais, equipamentos, armas", disse.
G1 procurou o governo do estado para comentar as declarações. O governo se manifestou por meio de nota. "Esse assunto em específico a assessoria de comunicação do governo do estado não vai comentar", diz o texto.
Comandante nega 'paredão humano' em Alcaçuz: 'se abrir as mãos, morreu' Comandante nega 'paredão humano' em Alcaçuz: 'se abrir as mãos, morreu' Reviewed by Ricardo Adriano on fevereiro 21, 2017 Rating: 5

Nenhum comentário

Teste Teste Teste Teste

Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste