• Notícias de Última Hora

    quarta-feira, 1 de fevereiro de 2017

    Liturgia da Palavra de hoje (1)

    Primeira Leitura (Hb 12,4-7.11-15)

    Leitura da Carta aos Hebreus. 

    Irmãos: 4Vós ainda não resististes até ao sangue na vossa luta contra o pecado, 5e já esquecestes as palavras de encorajamento que vos foram dirigidas como a filhos: 'Meu filho, não desprezes a educação do Senhor, não te desanimes quando ele te repreende; 6pois o Senhor corrige a quem ele ama e castiga a quem aceita como filho'. 7É para a vossa educação que sofreis, e é como filhos que Deus vos trata. Pois qual é o filho a quem o pai não corrige? 11No momento mesmo, nenhuma correção parece alegrar, mas causa dor. Depois, porém, produz um fruto de paz e de justiça para aqueles que nela foram exercitados. 12Portanto, 'firmai as mãos cansadas e os joelhos enfraquecidos; 13acertai os passos dos vossos pés', para que não se extravie o que é manco, mas antes seja curado. 14Procurai a paz com todos, e a santificação, sem a qual ninguém verá o Senhor; 15cuidai para que ninguém abandone a graça de Deus. Que nenhuma raiz venenosa cresça no meio de vós, tumultuando e contaminando a comunidade.


    - Palavra do Senhor.
    - Graças a Deus.

    Responsório (Sl 102)

     O amor do Senhor por quem o respeita, é de sempre e para sempre

    — O amor do Senhor por quem o respeita, é de sempre e para sempre


     Bendize, ó minha alma, ao Senhor,  e todo o meu ser, seu santo nome! Bendize, ó minha alma, ao Senhor,  não te esqueças de nenhum de seus favores!
     Como um pai se compadece de seus filhos, o Senhor tem compaixão dos que o temem. Porque sabe de que barro somos feitos, e se lembra que apenas somos pó.
     Mas o amor do Senhor Deus por quem o teme  é de sempre e perdura para sempre; e também sua justiça se estende por gerações até os filhos de seus filhos, aos que guardam fielmente sua Aliança.

    Evangelho (Mc 6,1-6)


    — O Senhor esteja convosco.
    — Ele está no meio de nós.
    — Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo Marcos.
    — Glória a vós, Senhor.
    Naquele tempo: 1Jesus foi a Nazaré, sua terra, e seus discípulos o acompanharam. 2Quando chegou o sábado, começou a ensinar na sinagoga. Muitos que o escutavam ficavam admirados e diziam: 'De onde recebeu ele tudo isto? Como conseguiu tanta sabedoria? E esses grandes milagres que são realizados por suas mãos? 3Este homem não é o carpinteiro, filho de Maria e irmão de Tiago, de Joset, de Judas e de Simão? Suas irmãs não moram aqui conosco?' E ficaram escandalizados por causa dele. 4Jesus lhes dizia: 'Um profeta só não é estimado em sua pátria, entre seus parentes e familiares'. 5E ali não pôde fazer milagre algum. Apenas curou alguns doentes, impondo-lhes as mãos. 6E admirou-se com a falta de fé deles. Jesus percorria os povoados das redondezas, ensinando.

    — Palavra da Salvação.
    — Glória a vós, Senhor.

    Homilia
    Ao meditarmos a Carta aos Hebreus, vemos que a Palavra de Deus é um convite para que possamos, de fato, lutar contra o pecado, porque, se não lutarmos, ele nos vence, derruba-nos. Temos de vencer o pecado, tirá-lo e derrubá-lo da nossa vida.
    Talvez você possa dizer: “Eu sou tão fraco! Ele é mais forte do que eu!”. Por isso, não estamos lutando sozinhos, é o Senhor quem combate e vence o pecado em nós. Precisamos proclamar o senhorio de Jesus na nossa vida.
    O nosso embate não é diretamente com o pecado, mas é para que Jesus seja o Senhor da nossa vida, dos nossos pensamentos e sentimentos, para que seja o Senhor da nossa vontade, daquilo que somos e fazemos. Precisamos permitir que Jesus reine em nós.
    O combate é para tirar as forças do mal, os maus costumes, os maus pensamentos e sentimentos. Para tirar de nós outras coisas que não convêm a nós, à nossa fé nem à santidade à qual somos chamados a viver. É importante, acima de tudo, proclamarmos o senhorio de Jesus em nossa vida e irmos para o combate.
    Deixe-me dizer: não lutamos ainda até o sangue. Às vezes, lutamos contra o pecado de maneira passiva e pensamos:“Eu até tento, mas não consigo!”. Lutar até o sangue quer dizer lutar com todas as forças, com toda alma e coração, resistir, não ceder à tentação.
    Quando rezamos o Pai-Nosso, pedimos: “E não deixei-nos cair em tentação”. O “não cair em tentação” é não ceder à tentação, não quer dizer que não teremos mais tentações nesta vida, muito pelo contrário, as tentações podem ser ainda maiores, e o combate se torna ainda mais ágil em nossa vida.
    Precisamos desarmar o maligno, precisamos desarmar a tentação dentro de nós. Aqui é necessário resistência da nossa parte, até o sangue, até a própria vida se for preciso!
    Não desanime, mesmo que você tenha esta ou aquela fraqueza, mesmo que tenhamos caído muitas vezes no mesmo pecado. O que não podemos é nos entregar, desistir, ceder às forças do mal e entregar a nossa alma ao mal. Precisamos lutar e ser combatentes!
    Muitos podem pensar: “Nossa, mas o meu temperamento é difícil!”. Não tem problema, o temperamento difícil é amansado pela graça de Deus, é moldado pela Sua graça e, daqui a pouco, ele vai cedendo ao senhorio de Jesus.
    Deus abençoe você!
    Pe. Roger Araújo

    Nenhum comentário :

    Twitter

    -->

    Culture