• Notícias de Última Hora

    terça-feira, 14 de fevereiro de 2017

    Liturgia da Palavra de hoje (14)

    Primeira Leitura (Gn 6,5-8; 7,1-5.10)
    Leitura do Livro do Gênesis.
    6,5O Senhor viu que havia crescido a maldade do homem na terra, e como os projetos do seu coração tendiam sempre para o mal. 6Então o Senhor arrependeu-se de ter feito o homem na terra e ficou com o coração muito magoado, 7e disse: “Vou exterminar da face da terra o homem que criei; e com ele, os animais, os répteis e até as aves do céu, pois estou arrependido de os ter feito!”
    8Mas Noé encontrou graça aos olhos do Senhor. 7,1O Senhor disse a Noé: “Entra na arca com toda a tua família, pois tu és o único homem justo que vejo no meio desta geração. 2De todos os animais puros toma sete casais, machos e fêmeas, e dos animais impuros, um casal, macho e fêmea. 3Também das aves do céu tomarás sete casais, machos e fêmeas, para que suas espécies se conservem vivas sobre a face da terra. 4Pois, dentro de sete dias, farei chover sobre a terra, quarenta dias e quarenta noites, e exterminarei da superfície da terra todos os seres vivos que fiz”.
    5Noé fez tudo o que o Senhor lhe havia ordenado. 10E, passados os sete dias, caíram sobre a terra as águas do dilúvio.

    - Palavra do Senhor.
    - Graças a Deus.

    Responsório (Sl 28)
    — Que o Senhor abençoe, com a paz, o seu povo!
    — Que o Senhor abençoe, com a paz, o seu povo!
    — Filhos de Deus, tributai ao Senhor, tributai-lhe a glória e o poder! Dai-lhe a glória devida ao seu nome; adorai-o com santo ornamento!
    — Eis a voz do Senhor sobre as águas, sua voz sobre as águas imensas! Eis a voz do Senhor com poder! Eis a voz do Senhor majestosa.
    — Sua voz no trovão reboando! No seu templo os fiéis bradam: “Glória!” É o Senhor que domina os dilúvios, o Senhor reinará para sempre!

    Evangelho (Mc 8,14-21)
    — O Senhor esteja convosco.
    — Ele está no meio de nós.
    — Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo Marcos.
    — Glória a vós, Senhor.
    Naquele tempo, 14os discípulos tinham se esquecido de levar pães. Tinham consigo na barca apenas um pão. 15Então Jesus os advertiu: “Prestai atenção e tomai cuidado com o fermento dos fariseus e com o fermento de Herodes”.
    16Os discípulos diziam entre si: “É porque não temos pão”. 17Mas Jesus percebeu e perguntou-lhes: “Por que discutis sobre a falta de pão? Ainda não entendeis e nem compreendeis? Vós tendes o coração endurecido? 18Tendo olhos, não vedes, e tendo ouvidos, não ouvis? Não vos lembrais 19de quando reparti cinco pães para cinco mil pessoas? Quantos cestos vós recolhestes cheios de pedaços?”
    Eles responderam: “Doze”. 20Jesus perguntou: E quando reparti sete pães com quatro mil pessoas, quantos cestos vós recolhestes cheios de pedaços? Eles responderam: “Sete”. 21Jesus disse: “E ainda não compreendeis?”

    — Palavra da Salvação.
    — Glória a vós, Senhor.

    Homilia
    É uma série de questionamentos que Jesus começa a fazer aos Seus discípulos, porque eles estão muito inquietos com aquela multidão que não tinha o que comer. O que eles tinham era somente o pão. O que fazer diante daquela situação?
    Sabe aquela situação da vida em que temos pouca solução para muitos problemas? Então, acrescentamos um problema maior e acabamos caindo na perturbação. O problema dos discípulos era que ficavam logo perturbados; e quando ficamos assim, a perturbação nos leva ao desespero que não resolve nada.
    Quando é que o desespero já nos ajudou a resolver alguma coisa? Ao contrário, ele nos tira a lucidez, a capacidade de reflexão, afasta-nos da fé.
    Algumas pessoas acham que Deus vai ouvi-las se ficarem desesperadas, se começarem a gritar, mas, ao contrário, Deus pode nos ajudar quando confiamos mais n’Ele. Em situações difíceis e complicadas, é mais fácil ajudar uma criança que um adulto, porque a criança cede, mas se o adulto se desespera, ele entra em pavor e não sabe o que fazer.
    Quando olhamos para as situações da nossa vida, sejam financeiras, econômicas ou familiares, percebemos que temos problemas, mas não podemos os transformar em dramas. Quando é que os problemas da nossa vida se tornam dramas? Quando nos desesperamos por causa deles, ou seja, estamos com os olhos fechados, não conseguimos enxergar qual é, na verdade, a origem do problema, e não vamos enxergá-los, porque o desespero não nos permite raciocinar.
    Ali, só havia aquele pão. O que fazer? Primeiro, ter calma, pensar, rezar e refletir. O que fazer com pouco? Se começamos a desesperar, criamos uma agitação, um clima, e percebemos que muitas coisas na vida se tornam desastrosas por causa de pessoas que são sempre desesperadas.
    Desesperar-se significa perder a esperança, perder o rumo da fé, da solução, do caminho. Deus é luz para qualquer situação. O desespero não nos aproxima de Deus, pelo contrário, aproxima-nos das trevas, porque fica tudo pavoroso, tudo se apaga dentro de nós.
    É preciso acalmar, é preciso ter serenidade, ter luz para que haja sabedoria, discernimento, e assim saber o que fazer em situações que exigem de mim. Faça-se luz para encontrar luz, solução e caminho para dar a direção do que fazer.
    Deus abençoe você!

    Nenhum comentário :

    Twitter

    -->

    Culture