Liturgia da Palavra de hoje (2)

Primeira Leitura (Dt 30,15-20)


Leitura do Livro do Deuteronômio.
Moisés falou ao povo dizendo: 15“Vê que eu hoje te proponho a vida e a felicidade, a morte e a desgraça. 16Se obedeceres aos preceitos do Senhor teu Deus, que eu hoje te ordeno, amando ao Senhor teu Deus, seguindo seus caminhos e guardando seus mandamentos, suas leis e seus decretos, viverás e te multiplicarás, e o Senhor teu Deus te abençoará na terra em que vais entrar, para possuí-la.
17Se, porém, o teu coração se desviar e não quiseres escutar, e se, deixando-te levar pelo erro, adorares deuses estranhos e os servires, 18eu vos anuncio hoje que certamente perecereis. Não vivereis muito tempo na terra onde ides entrar, depois de atravessar o Jordão, para ocupá-la.
19Tomo hoje o céu e a terra como testemunhas contra vós, de que vos propus a vida e a morte, a bênção e a maldição. Escolhe, pois, a vida, para que vivas, tu e teus descendentes, 20amando ao Senhor teu Deus, obedecendo à sua voz e apegando-te a ele — pois ele é a tua vida e prolonga os teus dias —, a fim de que habites na terra que o Senhor jurou dar a teus pais Abraão, Isaac e Jacó”.

- Palavra do Senhor.
- Graças a Deus.

Responsório (Sl 1)


— É feliz quem a Deus se confia!
— É feliz quem a Deus se confia!
— Feliz é todo aquele que não anda conforme os conselhos dos perversos; que não entra no caminho dos malvados, nem junto aos zombadores vai sentar-se; mas encontra seu prazer na lei de Deus e a medita, dia e noite, sem cessar.
— Eis que ele é semelhante a uma árvore, que à beira da torrente está plantada; ela sempre dá seus frutos a seu tempo, e jamais as suas folhas vão murchar. Eis que tudo o que ele faz vai prosperar.
— Mas bem outra é a sorte dos perversos. Ao contrário, são iguais à palha seca espalhada e dispersada pelo vento. Pois Deus vigia o caminho dos eleitos, mas a estrada dos malvados leva à morte.

Evangelho (Lc 9,22-25)


— O Senhor esteja convosco.
— Ele está no meio de nós.
— PROCLAMAÇÃO do Evangelho de Jesus Cristo + segundo Lucas.
— Glória a vós, Senhor!
Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: 22O Filho do Homem deve sofrer muito, ser rejeitado pelos anciãos, pelos sumos sacerdotes e doutores da Lei, deve ser morto e ressuscitar no terceiro dia”.
23Depois Jesus disse a todos: “Se alguém me quer seguir, renuncie a si mesmo, tome sua cruz cada dia e siga-me. 24Pois quem quiser salvar a sua vida, vai perdê-la; e quem perder a sua vida por causa de mim, esse a salvará.
25Com efeito, de que adianta a um homem ganhar o mundo inteiro, se se perde e se destrói a si mesmo?”

— Palavra da Salvação.
— Glória a vós, Senhor.

Homilia
É Jesus quem está fazendo um convite a nós, mas esse convite não é uma obrigação, porque se alguém quer realmente ser discípulos de Cristo, é preciso ter condições para isso; e a condição primeira é querer ser discípulo.
Ser discípulo de Jesus, na verdade, é a grande necessidade de nossa alma, de nosso coração. Podemos ser admiradores d’Ele, podemos fazer parte da multidão que sempre O acompanha de longe, mas nos tornarmos seguidores de Jesus é termos disposição de ir atrás d’Ele.
Quando digo “ir atrás”, é porque Ele vai à frente, é Ele quem nos direciona e segue o caminho que nos leva em direção ao Céu. Por isso, nós precisamos de um caminho na vida, uma direção a tomar, e essa direção tem nome: Jesus. Se você quer segui-Lo, primeiro é necessário renunciar a si mesmo.
A grande prova da vida é que somos muito apegados a nós mesmos, às nossa coisas, ao que temos e ao que não temos, à nossa forma de pensar, aquilo que está na nossa cabeça, pois, quando colocamos uma coisa na cabeça, nem Deus consegue tirá-la.
Para aderir ao pensamento de Cristo, para que a nossa mentalidade seja a mentalidade d’Ele, é preciso ter a capacidade de renúncia aos nossos afetos e sentimentos. Renunciar a si mesmo é abrir mão da forma egoísta, orgulhosa e soberba. Temos de encarar a vida.
Na verdade, precisamos de despojamento, despirmo-nos, colocarmos, muitas vezes, máscaras em nós, maquiagens em cima do nosso ser, e acabamos não sendo aquilo que, de fato, somos. Quando nos olhamos no espelho do jeito que somos, ali está a nossa face. Renuncie, pare de usar máscaras e fantasias. Precisamos de uma atitude de confiança naquele a quem queremos seguir quando somos capazes de renunciar a nós mesmos.
Quando sou capaz de colocar a vontade de Deus acima das minhas, cresce em mim um amor a Jesus Cristo e à Sua Palavra. Tome a sua cruz,  não a abandone, não fuja dela, não queira viver uma vida sem problemas.
Encaremos nossos problemas como desafios a serem superados, vencidos com a força do Alto, mas não fujamos das responsabilidades. Precisamos assumir aquilo que somos, assumir nossas fraquezas e debilidades. Eu posso transformá-las pelo poder de Deus, mas n’Ele só é transformado aquilo que é assumido, aquilo que deixamos de lado.
Por exemplo: você quer que Deus transforme seu casamento? Assuma o seu casamento. Você quer que Deus transforme as fraquezas do seu coração? Assuma-as, porque é ali que Ele quer entrar, quer fazer algo novo e transformar.
Sejamos discípulos de Jesus, sigamos seus passos, deixemos que Ele vá à frente e nós vamos atrás, olhando sempre para Ele sem perder a direção.
Deus abençoe você!
Liturgia da Palavra de hoje (2) Liturgia da Palavra de hoje (2) Reviewed by Ricardo Adriano on março 02, 2017 Rating: 5

Nenhum comentário

Teste Teste Teste Teste

Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste