• Notícias de Última Hora

    domingo, 26 de março de 2017

    Moscas e mosquitos! Para quê servem?

    Hoje eu gostaria de compartilhar um pouco sobre o meu trabalho-não-professor. Sou formado em Ciências Biológicas pela Universidade Federal de São Carlos e tenho mestrado em Diversidade Biológica e Conservação.
    A minha linha de pesquisa sempre deixa as pessoas com quem eu converso perplexas, surpresas e até um pouco receosas. Elas me perguntam: "Ah, você é biólogo? Trabalha com o quê?". E eu respondo: "Moscas!". Nessa hora, sempre vejo um queixo caído e uma cara de surpresa. "Moscas? Mas como assim? Existem pessoas que trabalham com moscas?". A resposta é SIM, caro leitor.
    As moscas e os mosquitos são insetos que pertencem à ordem Diptera (do grego: Di = duas; ptera = asas), ou seja, animais que possuem um par de asas. Essa ordem é conhecida como megadiversa, pois existem mais de 150.000 espécies descritas, além de um número muito maior de espécies a serem descobertas. Em outras palavras, a Dipterologia é um amplo campo de pesquisa e como tal, necessita de muitos recursos humanos.
    Bem...voltando a parte do choque que todos levam após a minha revelação de trabalhar com moscas, a pergunta que se segue também é sempre a mesma. "Então me fala, Luís. Para quê servem as moscas?".
    Devido ao grande número de espécies, as moscas em geral ocupam diversos papéis no ecossistema. As mais conhecidas, como a mosca-doméstica ou a mosca-varejeira, reciclam matéria orgânica de origem animal: as fêmeas botam ovos sobre substâncias orgânicas em decomposição, esses ovos se desenvolvem em larvas que se alimentam do substrato, então transformam-se em pupa e, alguns dias depois, emergem como adultos. Esse ciclo é o responsável pela degradação de carcaças de animais (inclusive humanos), entre outros. O estudo das moscas que "devoram" cadáveres humanos pode ser utilizado em investigações criminais, mas isso é assunto para um outro texto.
    Existem moscas polinizadoras (Ex: sirfídeos), controladoras de pragas (Ex: taquinídeos), predadoras (asilídeos), herbívoras (drosófilas), fungívoras (forídeas), parasitas etc! São tantas espécies com tantos nichos ecológicos (funções na natureza) que muitas ainda devem ser descobertas nos próximos anos.
    Os mosquitos, por sua vez, são menos admirados ainda. Quem nunca passou raiva ou momentos de coceira intensa após uma picada? A função ecológica dos  mosquitos é bem discutida entre os especialistas. Alguns afirmam que se eliminados, esses insetos não fariam tanta falta, pelo menos nos centros urbanos e em áreas com altas taxas de doenças como dengue e malária. Já em regiões mais afastadas, a ausencia dos mosquitos das teias alimentares causariam um certo dano nas populações de peixes de água doce, pois as larvas constituem uma parte importante da dieta deles.
    Eu gosto de falar sobre insetos. Principalmente moscas e mosquitos. Espero que esse pequeno texto possa ter instigado a curiosidade de vocês para que pesquisem um pouco sobre os dípteros e insetos em geral, e que aprendam a gostar um pouco mais desses bichinhos incompreendidos, porém muito importantes para o ecossistema.

    Nenhum comentário :

    Twitter

    -->

    Culture