Adbox
Tecnologia do Blogger.

Liturgia da Palavra de hoje (11)

Primeira Leitura (Is 49,1-6)
Leitura do Profeta Isaías.
1Nações marinhas, ouvi-me, povos distantes, prestai atenção: o Senhor chamou-me antes de eu nascer, desde o ventre de minha mãe ele tinha na mente o meu nome; 2fez de minha palavra uma espada afiada, protegeu-me à sombra de sua mão e fez de mim uma flecha aguçada, escondida em sua aljava, 3e disse-me: “Tu és o meu Servo, Israel, em quem serei glorificado”.
4E eu disse: “Trabalhei em vão, gastei minhas forças sem fruto, inutilmente; entretanto o Senhor me fará justiça e o meu Deus dará recompensa”. 5E agora me diz o Senhor – ele que me preparou desde o nascimento para ser seu servo – que eu recupere Jacó para ele e faça Israel unir-se a ele; aos olhos do Senhor esta é a minha glória.
6Disse ele: “Não basta seres meu Servo para restaurar as tribos de Jacó e reconduzir os remanescentes de Israel: eu te farei luz das nações, para que minha salvação chegue até aos confins da terra”.

- Palavra do Senhor.
- Graças a Deus.

Responsório (Sl 70)
— Minha boca anunciará vossa justiça.
— Minha boca anunciará vossa justiça. 
— Eu procuro meu refúgio em vós, Senhor: que eu não seja envergonhado para sempre! Porque sois justo, defendei-me e libertai-me! Escutai a minha voz, vinde salvar-me!
— Sede uma rocha protetora para mim, um abrigo bem seguro que me salve! Porque sois a minha força e meu amparo, o meu refúgio, proteção e segurança! Libertai-me, ó meu Deus, das mãos do ímpio.
— Porque sois, ó Senhor Deus, minha esperança, em vós confio desde a minha juventude! Sois meu apoio desde antes que eu nascesse. Desde o seio maternal, o meu amparo.
— Minha boca anunciará todos os dias vossa justiça e vossas graças incontáveis. Vós me ensinastes desde a minha juventude, e até hoje canto as vossas maravilhas.

Evangelho (Jo 13,21-33.36-38)
— O Senhor esteja convosco.
— Ele está no meio de nós.
— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo João.
— Glória a vós, Senhor.
Naquele tempo, estando à mesa com seus discípulos, 21Jesus ficou profundamente comovido e testemunhou: “Em verdade, em verdade vos digo, um de vós me entregará”. 22Desconcertados, os discípulos olhavam uns para os outros, pois não sabiam de quem Jesus estava falando.
23Um deles, a quem Jesus amava, estava recostado ao lado de Jesus. 24Simão Pedro fez-lhe um sinal para que ele procurasse saber de quem Jesus estava falando. 25Então, o discípulo, reclinando-se sobre o peito de Jesus, perguntou-lhe: “Senhor, quem é?”
26Jesus respondeu: “É aquele a quem eu der o pedaço de pão passado no molho”. Então Jesus molhou um pedaço de pão e deu-o a Judas, filho de Simão Iscariotes. 27Depois do pedaço de pão, Satanás entrou em Judas. Então Jesus lhe disse: “O que tens a fazer, executa-o depressa”.
28Nenhum dos presentes compreendeu por que Jesus lhe disse isso. 29Como Judas guardava a bolsa, alguns pensavam que Jesus lhe queria dizer: ‘Compra o que precisamos para a festa’, ou que desse alguma coisa aos pobres. 30Depois de receber o pedaço de pão, Judas saiu imediatamente. Era noite.
31Depois que Judas saiu, disse Jesus: “Agora foi glorificado o Filho do Homem, e Deus foi glorificado nele. 32Se Deus foi glorificado nele, também Deus o glorificará em si mesmo, e o glorificará logo. 33Filhinhos, por pouco tempo estou ainda convosco. Vós me procurareis, e agora vos digo, como eu disse também aos judeus: ‘Para onde eu vou, vós não podeis ir’”.
36Simão Pedro perguntou: “Senhor, para onde vais?” Jesus respondeu-lhe: “Para onde eu vou, tu não me podes seguir agora, mas seguirás mais tarde”. 37Pedro disse: “Senhor, por que não posso seguir-te agora? Eu darei a minha vida por ti!” 38Respondeu Jesus: “Darás a tua vida por mim? Em verdade, em verdade te digo: o galo não cantará antes que me tenhas negado três vezes”.

— Palavra da Salvação.
— Glória a vós, Senhor.

Homilia
Estamos no contexto da Última Ceia de Jesus. Nesse contexto da Eucaristia, está Judas Iscariotes. O que faz Judas, aquele que participa da ceia com Jesus? Ele come do pão! Jesus mesmo diz: “Aquele que come do pão comigo há de me trair!”.
O que mais me entristece e causa, na verdade, provocação e reflexão interior é que, depois que Judas come deste pão, é o demônio quem entra no coração dele.
Sabe, a Eucaristia tem a missão de nos purificar e nos colocar em comunhão com Deus, porque ela é o próprio Senhor que recebemos em nós! Mas se não purificarmos o nosso coração para recebermos a Eucaristia ou não permitirmos que o corpo do Senhor nos purifique, as obras das trevas entrarão em nosso coração.
Todos nós participamos da Ceia do Senhor, comungamos com Ele, mas comungamos também com pensamentos e obras que são do mal. Não permitimos que a Eucaristia realize em nós, muitas vezes, a obra do Reino de Deus.
Jesus mesmo disse: “Teu irmão tem algo contra ti? Primeiro, vai reconciliar-se com ele”. A primeira obra diabólica é esta, não vivemos a reconciliação. Somos capazes de entrar na Ceia Eucarística, comungar, chorar, cantar bonito, mas, ao sairmos da Eucaristia, continuamos fechados, não nos reconciliamos uns com os outros, continuamos a falar mal um dos outros, até na porta da igreja.
Não deixamos que a Eucaristia vença as trevas do nosso coração, mas permitimos, muitas vezes, que o demônio, com suas obras, inspire-nos o mal.
O que aconteceu com Judas não é para atirarmos pedras nele, é para revermos a nossa postura, pois isso acontece com Pedro em seguida. Aquele entusiasmo de estar com Jesus: “Eu darei a minha vida por Ti!”. E Jesus responde: “Pedro, antes que o galo cante, você vai me negar três vezes”.
Pedro também estava na Ceia de Jesus; mais do que isso, ele comungou a vida com Jesus e negou o Mestre três vezes.
Hoje, preciso colocar meu coração de molho, numa reflexão profunda: o que estou permitindo que a Eucaristia realize em mim? O que, de fato, estou vivendo quando comungo com o Senhor? Comungo com uma hóstia? Comungo, na verdade, Jesus em algo que eu acho bom? Comungo, de fato, o Senhor e aceito a Sua obra, o Seu Reino? Ou permito que a obra das trevas invada meu coração?
Nossas fraquezas são nossas e nenhuma delas são condenadas. Elas são salvas, redimidas e cuidadas por Deus! Eu não posso transformar minhas fraquezas em desculpas para viver nas trevas e deixar que pensamentos, ações diabólicas tomem conta do meu coração ainda participando da Eucaristia, da Ceia do Senhor.
Deus abençoe você!
Share on Google Plus

Sobre Ricardo Adriano

Sou pedagogo de formação, amo música, livros, poesias, trabalho com jardinagem e tudo um pouco, já fiz "um pouco". Sou amante da vida, da informação, das notícias que são levadas a você leitor (a). Estamos aqui para interagir. Obrigado por acessar este espaço.

0 comentários: