• Notícias de Última Hora

    terça-feira, 6 de junho de 2017

    Liturgia da Palavra de hoje (6)

    Primeira Leitura (Tb 2,9-14)
    Leitura do Livro de Tobias.
    Eu, Tobias, na noite de Pentecostes, depois de ter sepultado um morto, 9tomei banho, entrei no pátio de minha casa e deitei-me, junto à parede do pátio, deixando o rosto descoberto por causa do calor. 10Não sabia que, na parede, por cima de mim, havia pardais aninhados. Seu excremento quente caiu nos meus olhos e provocou manchas brancas. Fui procurar os médicos para me tratarem. Quanto mais remédios me aplicavam, mais meus olhos se obscureciam com as manchas, até que fiquei completamente cego. Durante quatro anos estive privado da vista. Todos os meus irmãos se afligiram por minha causa. Aicar cuidou do meu sustento, durante dois anos, até que partiu para Elimaida.
    11Naquela ocasião, Ana, minha mulher, dedicou-se a trabalhos femininos, tecendo lã. 12Entregava o produto aos patrões e estes lhe pagavam o salário. No sétimo dia do mês de Distros, ela separou a peça de tecido que estava pronta, e mandou-a aos patrões. Estes pagaram-lhe todo o salário e ainda lhe deram um cabrito para a mesa.
    13Quando entrou em minha casa, o cabrito começo a balir. Chamei minha mulher e perguntei-lhe: “De onde vem este cabrito? Não terá sido roubado? Devolve-o a seus donos, pois não temos o direito de comer coisa alguma roubada”. 14Ela respondeu-me: “É um presente que me foi dado além do salário”. Mas não acreditei nela e insisti que o devolvesse aos patrões, ficando bastante contrariado por causa disso. Ela então replicou: “Onde estão as tuas esmolas? Onde estão as tuas obras de justiça? Vê-se bem em ti o que elas são!”

    - Palavra do Senhor.
    - Graças a Deus.

    Responsório (SI 111)


    — O coração do justo é firme e confiante no Senhor.
    — O coração do justo é firme e confiante no Senhor.
    — Feliz o homem que respeita o Senhor e que ama com carinho a sua lei! Sua descendência será forte sobre a terra, abençoada a geração dos homens retos!
    — Ele não teme receber notícias más: confiando em Deus, seu coração está seguro. Seu coração está tranquilo e nada teme, e confusos há de ver seus inimigos.
    — Ele reparte com os pobres os seus bens, permanece para sempre o bem que fez, e crescerão a sua glória e seu poder.

    Evangelho (Mc 12,13-17)
    — O Senhor esteja convosco.
    — Ele está no meio de nós.
    — Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo Marcos.
    — Glória a vós, Senhor.

    Naquele tempo, 13as autoridades mandaram alguns fariseus e alguns partidários de Herodes, para apanharem Jesus em alguma palavra. 14Quando chegaram, disseram a Jesus: “Mestre, sabemos que tu és verdadeiro, e não dás preferência a ninguém. Com efeito, tu não olhas para as aparências do homem, mas ensinas, com verdade, o caminho de Deus. Dize-nos: É lícito ou não pagar o imposto a César? Devemos pagar ou não?”
    15Jesus percebeu a hipocrisia deles, e respondeu: “Por que me tentais? Trazei-me uma moeda para que eu a veja”. 16Eles levaram a moeda, e Jesus perguntou: “De quem é a figura e a inscrição que estão nessa moeda?” Eles responderam: “De César”. 17Então Jesus disse: “Dai, pois, a César o que é de César, e a Deus o que é de Deus”. E eles ficaram admirados com Jesus.

    — Palavra da Salvação.
    — Glória a vós, Senhor.

    Homilia
    Eles [fariseus e alguns partidários de Herodes] querem colocar Jesus numa situação difícil. Primeiro, elogiam-nO: “Mestre, sabemos que o Senhor trouxe a verdade, sabemos que Tu és é verdadeiro, mas nos diga: É justo ou não pagarmos o imposto a César?”.
    É importante dizer que eles não estão preocupados se devem ou não pagar impostos a César. A malícia da pergunta é para colocar Jesus numa situação difícil, de aperto, porque o Senhor pode dizer: “Vocês não pagam impostos”, mas Ele está sendo um rebelde social, está criando uma rebeldia. “Não vamos cumprir nossas obrigações. Ninguém paga impostos”. Do outro lado, Ele pode reforçar: “Tem de pagar impostos mesmo. Tem de cumprir e ser assim mesmo”. Dessa forma, Ele estaria reforçando aquilo que os opressores romanos fazem e geram muita revolta no coração do povo. Mas Jesus tem sensatez e sabedoria.
    Nem tudo que fazemos é justo, mas é correto cumprirmos as nossas normas e obrigações. Estamos no mundo e o jogo deste mundo nem sempre é o mais correto. O mais correto não é a rebeldia pela rebeldia, não é simplesmente a indignação que nos leva a vivermos indiferentes e fora deste mundo. Não somos deste mundo, mas estamos nele.
    Se, neste mundo, há regras que fazem a convivência social acontecer, temos o direito de questioná-las, mas não temos o direito de não as vivenciar; a não ser que essas regras, constituições ou qualquer coisa parecida firam a nossa moral. Para ser mais claro: pagar impostos, muitas vezes, é injusto. Pagar pedágio, muitas vezes, nas estradas da vida, é injusto, assim como multas ou outras coisas, mas é meu testemunho pagar. Podemos até questionar, não achar correto, mas precisamos cumprir com nossas obrigações.
    Eu poderia enumerar tantas outras coisas! É correto votar ou não? É correto fazer isso ou não? Estamos na sociedade e ela é regida por leis e regras. Eu obedeço, eu posso discordar, mas não posso criar um caos social. O mais importante de tudo é não se esquecer de que é preciso dar a Deus o que é de Deus, é ser justo com a sociedade, com o mundo em que vivemos e com tudo o que fazemos, é simplesmente colocar Deus em primeiro lugar.
    Qualquer lei, qualquer obrigação que vá contra o amor de Deus, jamais poderemos vivenciá-la nem colocá-la em prática. O Estado pode aprovar o aborto – Deus nos livre disso! –, mas um cristão nunca colocará isso em prática na sua vida, porque o amor a Deus está cima de qualquer coisa, importa antes obedecer a Deus do que aos homens.
    Deus abençoe você!

    Nenhum comentário :

    Twitter

    -->

    Culture