OAS pagou propina a Alves via conta de Temer, diz MPF


O ex-ministro do Turismo, Henrique Eduardo Alves é preso no apartamento onde mora, no bairro de Areia Preta, Zona Leste de Natal (RN), durante operação da Polícia Federal.

A Procuradoria do Rio Grande do Norte afirmou que o ex-ministro Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN) recebeu “valores ilícitos” da empreiteira OAS por meio da conta do então vice-presidente Michel Temer durante a eleição de 2014. A informação foi usada pelo Ministério Público Federal (MPF) para pedir a prisão preventiva de Alves, que foi cumprida nesta quarta-feira na Operação Manus, dada a sua proximidade com o agora presidente da República.A procuradoria incluiu nos autos a triangulação do repasse de 500.000 reais, que foi feito via caixa 1. Pelos extratos da prestação de contas, o valor caiu na conta de Temer tendo como doador a OAS SA, em 11 de setembro de 2014. No mesmo dia, a soma foi transferida para o diretório estadual do PMDB do Rio Grande do Norte — naquele ano, Alves que já foi presidente da Câmara e deputado por onze mandatos disputou o governo, mas perdeu.

Trecho do pedido de prisão contra Henrique Eduardo Alves (MPF/Reprodução)

Alves foi preso sob suspeita de receber pelo menos 7,5 milhões de reais de propina para favorecer empreiteiras, entre elas a OAS e Odebrecht. Uma das obras investigadas seria a da Arena das Dunas, que foi erguida para sediar jogos da Copa do Mundo em 2014.

No mesmo pedido, a procuradoria diz que, mesmo depois de ter renunciado ao cargo de ministro do Turismo, Alves continua a “exercer intensa atividade política em âmbito nacional”. Como argumento, o MPF citou viagens “constantes” com “periodicidade semanal” de Natal a Brasília de junho de 2016 a abril de 2017.

“O quadro se mostra mais preocupante se considerado que, exatamente em 2016, até os dias de hoje, o partido político de Henrique Eduardo Lyra Alves, o PMDB, assumiu a Presidência da República, (…). O vice-presidente Michel Temer, correligionário de Eduardo Henrique Lyra Alves, assumiu o poder, sendo concretamente provável que o ora investigado se dirija a Brasília exatamente para com ele estabelecer articulações da mais diversa ordem”, escreveu o procurador Rodrigo Telles de Souza.

Alves também foi ministro do Turismo no governo Dilma Rousseff e chegou a ser mantido por Temer no posto no período de afastamento provisório do impeachment. Pediu demissão depois de ser sido citado na delação do ex-presidente da Transpetro Sérgio Machado, cujo trecho também foi anexado ao pedido de prisão.

Procurada, a assessoria do Planalto informou que quem daria um posicionamento seria o diretório nacional do PMDB. A reportagem tentou contatar o partido, que não foi localizado. O mesmo ocorreu com a defesa do ex-ministro.


Do Agora RN
OAS pagou propina a Alves via conta de Temer, diz MPF OAS pagou propina a Alves via conta de Temer, diz MPF Reviewed by Ricardo Adriano on junho 08, 2017 Rating: 5

Nenhum comentário

Teste Teste Teste Teste

Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste