• Notícias de Última Hora

    terça-feira, 29 de agosto de 2017

    EM MOSSORÓ – Quase sem voz Lula faz balanço e ataca adversários: “Estão trabalhando para destruir o País”

    Lula em Mossoró (RN)
    O encerramento de programação da Caravana de Lula pelo Nordeste no Rio Grande do Norte foi marcado por atraso, e pela realização da maior mobilização entre todas as já realizadas desde o início do projeto na Bahia.
    Com um atraso de aproximadamente 90 minutos a chegada de Lula foi marcada por dificuldades de acesso ao palco, antes do ex-presidente se deparar com os simpatizantes de Mossoró e de mais 40 cidades, que ocupavam uma das laterais da Estação das Artes Elizeu Ventania.
    Antes do ex-presidente iniciar seu discurso, o microfone foi utilizado pela presidente local do PT, vereadora Isolda Dantas, Gutemberg Dias, presidente do PCdoB mossoroense, Júnior Souto, presidente estadual do partido, deputado estadual Fernando Mineiro, e pela senadora Fátima Bezerra, que lembrou dos investimentos feitos pelo PT no ensino técnico e de graduação antes de informar que o ex-presidente receberá o título de Doutor Honoris Causa da Universidade Federal Rural do Semi Árido (Ufersa).
    O fim do discurso de Fátima Bezerra antecedeu a entrega de uma série de comendas e homenagens entregues por movimentos sociais e entidades de Mossoró e região.
    Gripado, e com uma certa dificuldade para falar, Lula discursou por cerca de 30 minutos.
    Durante seu discurso fez um balanço das ações do seu governo na região fazendo uma conexão dos projetos desde a idealização até a execução.
    “Vim a Mossoró e me pediram pra transformar a escola de agricultura em universidade federal. Eu disse que iria fazer e disseram que eu vim aqui inaugurar um muro. Eu vim aqui pra fazer uma fábrica. Não uma fábrica de produto, de peças de automóveis, mas uma fábrica de inteligência, de conhecimento. Eu vim aqui derrubar um muro. Cheguei numa época de muita vergonha pra mais que dobrar o número de alunos aqui no Rio Grande do Norte”, destacou o presidente com relação ao processo de transformação da Escola Superior de Agricultura de Mossoró (Esam) em Ufersa.
    Lula citou ainda o projeto de desapropriação da Maísa que passou a contar com mais de mil famílias empossadas, e a estruturação da BR-101, que facilita o deslocamento entre o Rio Grande do Norte e a ala sul da região nordeste, tendo como porta de entrada o Estado da Paraíba.
    “Em 2004, na Caravana da Cidadania, eu dei uma passada por aqui e fui visitar uma tal de uma fazenda Maísa. Logo em seguida a gente desapropriou a Maisa e assentamos 1150 trabalhadores rurais”.
    Após apresentar sua prestação de contas, Lula fez uma análise da atual conjuntura política do País.

    Destacou que entregou o País com a sexta economia do mundo e acompanha o processo de crise, e linha política adotada no atual momento, com preocupação.
    “No nosso governo a Petrobrás passou a ser a segunda maior empresa petrolífera do mundo. Fortalecemos o Banco do Brasil e a Caixa num momento onde os estados estavam se desfazendo dos seus bancos. Os que hoje estão a frente do País vão vender tudo. Vão entregar tudo para os Estados Unidos, para os europeus, para os chineses. Vão vender a Eletrobras, vão vender o Banco do Brasil, vão vender a nossa Casa da Moeda, isso é um absurdo” destacou Lula que complementou:
    “Estão trabalhando para destruir o País”.
    Antes de encerrar seu discurso o ex-presidente destacou sua intenção de buscar sua candidatura a presidência da república.

    “Tenho 71 anos de idade mas me sinto com 30. Tenho muita energia e vontade de trabalhar pela felicidade de vocês” destacou o ex-presidente ovacionado pelos presentes.
    Márcio Costa

    Nenhum comentário :

    Twitter

    -->

    Culture