Liturgia da Palavra de hoje (25)

Primeira Leitura (Rt 1,1.3-6.14b-16.22)
Início do Livro de Rute.
1No tempo em que os juízes governavam, houve uma fome no país e um homem de Belém de Judá foi morar nos campos de Moab com sua mulher e seus dois filhos. 3Entretanto, morreu Elimelec, marido de Noemi, e esta ficou sozinha com seus dois filhos. 4Eles casaram-se com mulheres moabitas, uma das quais se chamava Orfa, a outra, Rute. E ali permaneceram uns dez anos. 5Depois morreram também os dois, Maalon e Quelion e a mulher ficou só, sem os dois filhos e sem o marido. 6Então ela se dispôs a voltar do campo de Moab para a sua pátria com as duas noras, porque tinha ouvido dizer que o Senhor havia olhado para o seu povo, e lhe tinha dado alimentos.
14bOrfa beijou sua sogra e partiu. Rute, porém, ficou com Noemi. 15Esta disse-lhe: “Olha, tua cunhada voltou para o seu povo e para os seus deuses. Vai com ela”. 16Mas Rute respondeu: “Não insistas comigo para que te deixe e me afaste de ti. Porque para onde fores irei contigo, onde pousares, lá pousarei eu também. Teu povo será o meu povo, e o teu Deus será o meu Deus”. 22Assim Noemi voltou dos campos de Moab, acompanhada de sua nora Rute, a moabita. Regressaram a Belém, quando começava a colheita da cevada.

- Palavra do Senhor.
- Graças a Deus.

Responsório (Sl 145)
— Bendize, ó minha alma, ao Senhor!
— Bendize, ó minha alma, ao Senhor!
— É feliz todo homem que busca seu auxílio no Deus de Jacó, e que põe no Senhor a esperança. O Senhor fez o céu e a terra, fez mar e o que neles existe.
— Faz justiça aos que são oprimidos; ele dá alimento aos famintos, é o Senhor quem liberta os cativos.
— O Senhor abre os olhos aos cegos o Senhor faz erguer-se o caído; o Senhor ama aquele que é justo. É o Senhor quem protege o estrangeiro.
— Ele ampara a viúva e o órfão mas confunde os caminhos dos maus. O Senhor reinará para sempre! Ó Sião, o teu Deus reinará para sempre e por todos os séculos!

Evangelho (Mt 22,34-40)
— O Senhor esteja convosco.
— Ele está no meio de nós.
— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo Mateus.
— Glória a vós, Senhor.
Naquele tempo, 34os fariseus ouviram dizer que Jesus tinha feito calar os saduceus. Então eles se reuniram em grupo, 35e um deles perguntou a Jesus, para experimentá-lo: 36”Mestre, qual é o maior mandamento da Lei?” 37Jesus respondeu: “Amarás o Senhor teu Deus de todo o teu coração, de toda a tua alma, e de todo o teu entendimento!’ 38Esse é o maior e o primeiro mandamento. 39O segundo é semelhante a esse: ‘Amarás ao teu próximo como a ti mesmo’. 40Toda a Lei e os profetas dependem desses dois mandamentos”.

— Palavra da Salvação.
— Glória a vós, Senhor.

Homilia
Os saduceus estão questionando Jesus: “Qual é o maior mandamento?”. A pergunta tem um tom de ironia e malícia, porque eles querem colocar Jesus em dificuldade, pois, na visão dos mestres da lei judaica, “amar a Deus sobre todas as coisas” está acima de tudo, e quem faz isso já está no grau máximo da relação com Ele.
Jesus, por Sua vida e ministério, pelo amor às pessoas e o cuidado com o próximo, por estar ao lado dos desvalidos e pecadores, parece que não observa a lei judaica, faz caridade, ama o seu próximo e, no dia de sábado, salva almas e cura doentes. Será que Jesus conhece mesmo os mandamentos divinos? Por isso a pergunta é recheada de uma certa malícia: “Qual é o maior dos mandamentos?”.
Jesus, sem titubear, vai no ponto: “Amarás o Senhor teu Deus com todo o teu coração, com a toda a tua alma, com todo o teu entendimento, mas só quem ama a Deus de todo o coração consegue amar o seu próximo como a si mesmo”.
O amor a Deus só é verdadeiro e concretizado quando amamos nosso próximo. Você olha para uma pessoa e diz: “Ela é toda de Deus!”. Por que ela é toda de Deus? Porque vive o tempo inteiro falando com Ele, vive o tempo inteiro em adoração, ora o tempo todo. Muito bom! Ela está buscando amar a Deus, mas ela só vai verdadeiramente amá-Lo quando esse amor for revestido de gestos, de verdade e sinceridade na pessoa do próximo.
O próximo é a concretude do amor que manifestamos a Deus. Passamos o tempo inteiro rezando, mas, depois das nossas orações, continuamos grossos, mal educados, fazendo distinção de pessoas, desprezando o pobre, o sofredor; e o próximo é só um próximo para nós. Não entendemos nada ou esse amor de Deus para nós não tem vida.
Nosso Deus é vivo, e eu O amo com todo o meu ser. Estou aos pés d’Ele, adorando, louvando, engrandecendo, porque Ele é tudo para mim, mas se eu O escuto, se meu coração está n’Ele e  tenho comunhão com Ele, o Senhor me leva a amar meu irmão com toda minha alma e todo o meu coração.
Não precisamos dizer para ninguém que amamos a Deus, o testemunho do amor que temos para com Ele se manifesta quando amamos o nosso irmão de todo nosso coração.
Deus abençoe você!
Liturgia da Palavra de hoje (25) Liturgia da Palavra de hoje (25) Reviewed by Ricardo Adriano on agosto 25, 2017 Rating: 5

Nenhum comentário

Teste Teste Teste Teste

Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste