STF julga futuro do amianto, que está na maioria nos telhados do país

O amianto já foi proibido por falta de segurança em mais de 60 países, mas, no Brasil, continua presente na maioria dos telhados. O futuro desse material considerado cancerígeno e usado na fabricação de telhas e caixas d'àgua pode ser decidido nesta semana pelo STF (Supremo Tribunal Federal).

O julgamento de uma série de ações relacionadas à proibição do amianto no país foi suspenso na semana passada. Até o momento, o placar tem dois votos a favor do banimento.

A análise do STF passa pelos danos causados à saúde e ao meio ambiente em decorrência da exploração do amianto, considerado pela OIT (Organização Internacional do Trabalho) material cancerígeno, e pela validade de leis estaduais que proíbem o uso do material (em contraponto a uma lei federal que permite a utilização do amianto de forma "controlada"). Entre os Estados que vetam o produto estão São Paulo, Rio Grande do Sul, Rio de Janeiro e Pernambuco.

Único a votar na última quinta (10), o ministro Dias Toffoli manifestou-se favoravelmente às leis estaduais: "Hoje, o que se observa é um consenso em torno da natureza cancerígena do mineral e da inviabilidade de seu uso de forma segura, sendo esse o entendimento oficial dos órgãos nacionais e internacionais que detêm autoridade no tema", afirmou.

STF julga futuro do amianto, que está na maioria nos telhados do país STF julga futuro do amianto, que está na maioria nos telhados do país Reviewed by Ricardo Adriano on agosto 15, 2017 Rating: 5

Nenhum comentário

Teste Teste Teste Teste

Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste