• Notícias de Última Hora

    sexta-feira, 15 de setembro de 2017

    Liturgia da Palavra de hoje (15)

    Primeira Leitura (Hb 5,7-9)
    Leitura da Carta aos Hebreus.
    7Cristo, nos dias de sua vida terrestre, dirigiu preces e súplicas, com forte clamor e lágrimas, àquele que era capaz de salvá-lo da morte. E foi atendido por causa de sua entrega a Deus. 8Mesmo sendo Filho, aprendeu o que significa a obediência a Deus por aquilo que ele sofreu. 9Mas, na consumação de sua vida, tornou-se causa de salvação eterna para todos os que lhe obedecem.
    - Palavra do Senhor.
    - Graças a Deus.

    Responsório (Sl 30)
    — Salvai-me pela vossa compaixão, ó Senhor Deus!
    — Salvai-me pela vossa compaixão, ó Senhor Deus!
    — Senhor, eu ponho em vós minha esperança; que eu não fique envergonhado eternamente. Porque sois justo, defendei-me e libertai-me; apressai-vos, ó Senhor, em socorrer-me!
    — Sede uma rocha protetora para mim, um abrigo bem seguro que me salve! Sim, sois vós a minha rocha e fortaleza; por vossa honra orientai-me e conduzi-me!
    — Retirai-me desta rede traiçoeira, porque sois o meu refúgio protetor! Em vossas mãos, Senhor, entrego o meu espírito, porque vós me salvareis, ó Deus fiel!
    — A vós, porém, ó meu Senhor, eu me confio, e afirmo que só vós sois o meu Deus! Eu entrego em vossas mãos o meu destino; libertai-me do inimigo e do opressor!
    — Como é grande, ó Senhor, vossa bondade, que reservastes para aqueles que vos temem! Para aqueles que em vós se refugiam, mostrando, assim, o vosso amor perante os homens.

    Evangelho (Jo 19,25-27)
    — O Senhor esteja convosco.
    — Ele está no meio de nós.
    — Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo João.
    — Glória a vós, Senhor.
    Naquele tempo, 25perto da cruz de Jesus, estavam de pé a sua mãe, a irmã da sua mãe, Maria de Cléofas, e Maria Madalena. 26Jesus, ao ver sua mãe e, ao lado dela, o discípulo que ele amava, disse à mãe: “Mulher, este é o teu filho”. 27Depois disse ao discípulo: “Esta é a tua mãe”. Daquela hora em diante, o discípulo a acolheu consigo.
    — Palavra da Salvação.
    — Glória a vós, Senhor.

    Homilia
    Maria viveu tantas dores no percurso de sua vida terrestre e humana, e todas elas foram redentoras e salvíficas. Ela compartilhou das dores e dos sofrimentos de seu Filho. Desde o momento em que foi escolhida para ser a Mãe do Salvador, aquilo que poderia ser causa de glória, de jubilo e gozo, foi causa de muito sofrimento e contradição. Quando Maria levou Jesus ao Templo, o próprio Simeão disse: “Essa criança será sinal de contradição, e uma espada de dor transpassará a sua alma” (cf. Lucas 2,34-35). Maria carregou essa espada durante toda a sua vida, e seu Filho não foi amado, não foi compreendido nem aceito, inclusive pelos seus próprios parentes e pessoas mais próximas.
    Maria experimentou a dor do Filho que se perdeu no Templo quando ele tinha apenas 12 anos de idade. Ela O viu ser rejeitado, julgado e condenado injustamente, ela viu seu Filho derramando Sangue, sendo humilhado, ultrajado e morrendo na cruz. Qual é o tamanho da dor dessa Mãe? Qual é o tamanho da espada que transpassa o coração dessa Mulher?
    Como diz a Palavra: ela estava firme na fé, confiante, entregando toda sua alma ao coração de Deus. Maria traz em si as dores de todas as mulheres de todos os tempos. Ela é a Mãe que carrega as dores de todas as mães, ela é a Mãe solidária, companheira e presente; a Mãe que se faz presente com todas as mães que sofrem com seus filhos, no casamento e nas situações complicadas da vida.
    Maria é a mãe que sofre com todas as mulheres sofridas, descriminadas e rejeitadas. Ela é a mãe que compreende as dores de todas as mães e mulheres que passam por aflições, momentos difíceis e complicados.
    Maria é a Mãe presente na dor, no sofrimento, na aflição e na compreensão de todas as mulheres!
    Deus abençoe você!

    Nenhum comentário :

    Twitter

    -->

    Culture