Liturgia da Palavra de hoje (18)

Primeira Leitura (1Tm 2,1-8)
Leitura da Primeira Carta de São Paulo a Timóteo.
Caríssimo, 1antes de tudo, recomendo que se façam preces e orações, súplicas e ações de graças, por todos os homens; 2pelos que governam e por todos que ocupam altos cargos, a fim de que possamos levar uma vida tranquila e serena, com toda a piedade e dignidade. 3Isto é bom e agradável a Deus, nosso Salvador; 4ele quer que todos os homens sejam salvos e cheguem ao conhecimento da verdade. 5Pois há um só Deus, e um só mediador entre Deus e os homens: o homem Cristo Jesus, 6que se entregou em resgate por todos. Este é o testemunho dado no tempo estabelecido por Deus, 7e para este testemunho eu fui designado pregador e apóstolo e – falo a verdade, não minto –, mestre das nações pagãs na fé e na verdade. 8Quero, portanto, que em todo o lugar os homens façam a oração, erguendo mãos santas, sem ira e sem discussões.
- Palavra do Senhor.
- Graças a Deus.

Responsório (Sl 27)
— Bendito seja o Senhor, porque ouviu o clamor da minha súplica!
— Bendito seja o Senhor, porque ouviu o clamor da minha súplica!
— Escutai o meu clamor, a minha súplica, quando eu grito para vós; quando eu elevo, ó Senhor, as minhas mãos para o vosso santuário.
— Minha força e escudo é o Senhor, meu coração nele confia. Ele ajudou-me e alegrou meu coração; eu canto em festa o seu louvor.
— O Senhor é a fortaleza do seu povo e a salvação do seu Ungido. Salvai o vosso povo e libertai-o; abençoai a vossa herança! Sede vós o seu pastor e o seu guia pelos séculos eternos!

Evangelho (Lc 7,1-10)
— O Senhor esteja convosco.
— Ele está no meio de nós.
— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo Lucas.
— Glória a vós, Senhor.
Naquele tempo, 1quando acabou de falar ao povo que o escutava, Jesus entrou em Cafarnaum. 2Havia lá um oficial romano que tinha um empregado a quem estimava muito, e que estava doente, à beira da morte. 3O oficial ouviu falar de Jesus e enviou alguns anciãos dos judeus, para pedirem que Jesus viesse salvar seu empregado. 4Chegando onde Jesus estava, pediram-lhe com insistência: “O oficial merece que lhe faças este favor, 5porque ele estima o nosso povo. Ele até nos construiu uma sinagoga”.
6Então Jesus pôs-se a caminho com eles. Porém, quando já estava perto da casa, o oficial mandou alguns amigos dizerem a Jesus: “Senhor, não te incomodes, pois não sou digno de que entres em minha casa. 7Nem mesmo me achei digno de ir pessoalmente a teu encontro. Mas ordena com a tua palavra, e o meu empregado ficará curado. 8Eu também estou debaixo de autoridade, mas tenho soldados que obedecem às minhas ordens. Se ordeno a um: ‘Vai!’, ele vai; e a outro: ‘Vem!’, ele vem; e ao meu empregado ‘Faze isto!’, e ele o faz’”.
9Ouvindo isso, Jesus ficou admirado. Virou-se para a multidão que o seguia, e disse: “Eu vos declaro que nem mesmo em Israel encontrei tamanha fé”. 10Os mensageiros voltaram para a casa do oficial e encontraram o empregado em perfeita saúde.
— Palavra da Salvação.
— Glória a vós, Senhor.

Homilia
A Palavra de Deus que estamos meditando, no dia de hoje, da Carta de São Paulo a seu filho Timóteo, é muito atual para o momento pelo qual estamos passando. Todos nós sabemos do momento político do nosso país e do mundo inteiro; não é um momento fácil, mas muito delicado, no qual muitos de nós desacreditamos das autoridades, daqueles que exercem cargos públicos, por todas as situações, que é do conhecimento de todos.
O que é importante? A primeira coisa que a Palavra está nos recomendando é a prática da oração. A oração é súplica, é intercessão. Precisamos orar por todos os homens, precisamos orar pela humanidade, por aqueles que creem em Deus e por aqueles que não creem, que são do nosso convívio e por aqueles que não são. Orando por aqueles que creem e por aqueles que não levam uma vida de comunhão com Deus, a oração chega ao coração deles da mesma forma.
Antes de falarmos mal, de reclamarmos e condenarmos as pessoas, na caridade e no amor, a nossa primeira obrigação é a oração e a intercessão, é colocarmos todas essas necessidades, situações que nós encaramos na luz e no poder da oração.
Precisamos orar pelos nossos governantes e por todos aqueles que são constituídos em dignidade e autoridade. Por mais que tenhamos repugnância a tantos políticos, àqueles que ocupam cargos públicos e assim por diante, eles são autoridade constituídas para governar e fazer o que precisa ser feito. O fato de muitos não corresponderem ou não serem responsáveis naquilo que estão fazendo, não pode nos colocar omissos diante da nossa obrigação da oração e da súplica.
Precisamos ter governantes justos e honestos, mas precisamos, em primeiro lugar, de cidadãos, de homens e mulheres de Deus comprometidos em levar uma vida justa, honesta e ética.
Existe uma ética espiritual que nos leva, justamente, a ter um compromisso da oração. Quantas vezes, nas suas preces, nas suas súplicas, você se lembrou de orar pelos nossos governantes, por aqueles que estão ocupando os nossos cargos?
A lógica do mundo é falar mal, criticar, transformar tudo em piada, generalizar todas as situações e se esquecer de que somos sal da terra e luz do mundo. A nossa missão é ser fermento na massa, é cobrar e fiscalizar, mas a nossa missão é também orar.
Que a nossa oração seja de súplica e confiança por um tempo e por um mundo melhor!
Deus abençoe você!
Liturgia da Palavra de hoje (18) Liturgia da Palavra de hoje (18) Reviewed by Ricardo Adriano on setembro 18, 2017 Rating: 5

Nenhum comentário

Teste Teste Teste Teste

Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste