• Notícias de Última Hora

    quarta-feira, 27 de setembro de 2017

    Liturgia da Palavra de hoje (27)

    Primeira Leitura (Esd 9,5-9)
    Leitura do Livro de Esdras.
    5Na hora da oblação da tarde, eu, Esdras, levantei-me da minha prostração. E, com as vestes e o manto rasgados, caí de joelhos, estendi as mãos para o Senhor, meu Deus. 6E disse: “Meu Deus, estou coberto de vergonha e confusão ao levantar a minha face para ti, porque nossas iniquidades multiplicaram-se acima de nossas cabeças e nossas faltas se acumularam até o céu.
    7Desde os tempos de nossos pais até este dia, uma grande culpa pesa sobre nós: por causa de nossas iniquidades, nós, nossos reis e nossos sacerdotes, fomos entregues às mãos dos reis estrangeiros, à espada, ao cativeiro, à pilhagem e à vergonha, como acontece ainda hoje.
    8Mas agora, por um breve instante, o Senhor nosso Deus concedeu-nos a graça de preservar dentre nós um resto, e de permitir que nos fixemos em seu lugar santo. Assim o nosso Deus deu brilho aos nossos olhos e concedeu-nos um pouco de vida no meio de nossa servidão. 9Pois éramos escravos, mas em nossa servidão o nosso Deus não nos abandonou. Antes, conseguiu para nós o favor dos reis da Pérsia, deu-nos bastante vida para podermos reconstruir o templo de nosso Deus e restaurar suas ruínas, e concedeu-nos um abrigo seguro em Judá e em Jerusalém.
    - Palavra do Senhor.
    - Graças a Deus.

    Responsório (Tb 13,2-8)
    — Bendito seja Deus que vive eternamente!
    — Bendito seja Deus que vive eternamente!
    — Vós sois grande, Senhor, para sempre, e vosso reino se estende nos séculos! Porque vós castigais e salvais, fazeis descer aos abismos da terra, e de lá nos trazeis novamente: de vossa mão nada pode escapar.
    — Vós que sois de Israel, dai-lhe graças e por entre as nações celebrai-o! O Senhor dispersou-vos na terra para narrardes sua glória entre os povos, e fazê-los saber, para sempre, que não há outro Deus além dele.
    — Castigou-nos por nossos pecados, seu amor haverá de salvar-nos. Compreendei o que fez para nós, dai-lhe graças com todo o respeito!
    — Bendizei o Senhor, seus eleitos, fazei festa e alegres louvai-o!

    Evangelho (Lc 9,1-6)
    — O Senhor esteja convosco.
    — Ele está no meio de nós.
    — Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo Lucas.
    — Glória a vós, Senhor.
    Naquele tempo, 1Jesus convocou os Doze, deu-lhes poder e autoridade sobre todos os demônios e para curar doenças, 2e enviou-os a proclamar o Reino de Deus e a curar os enfermos. 3E disse-lhes: “Não leveis nada para o caminho: nem cajado nem sacola nem pão nem dinheiro nem mesmo duas túnicas. 4Em qualquer casa onde entrardes, ficai aí; e daí é que partireis de novo. 5Todos aqueles que não vos acolherem, ao sairdes daquela cidade, sacudi a poeira dos vossos pés, como protesto contra eles”. 6Os discípulos partiram e percorriam os povoados, anunciando a Boa Nova e fazendo curas em todos os lugares.
    — Palavra da Salvação.
    — Glória a vós, Senhor.

    Homilia
    Jesus confere aos Seus Doze poder e autoridade. O Mestre nos confere poder e autoridade sobre os espíritos malignos, para nos dizer que nenhuma força que vem do mal pode nem deve ser maior do que aquilo que é o Reino de Deus.
    Onde o mal está vencendo, onde está progredindo e onde ele está tendo a palavra final, é porque o Reino não está acontecendo; pois, onde ele acontece, aqueles que são discípulos e apóstolos têm poder e autoridade para expulsar o que é maligno.
    Meus irmãos, usemos, sobre a nossa própria vida, a autoridade divina que o próprio batismo nos conferiu. Não podemos deixar que o maligno e suas ações tenham poder sobre nossa vida. Elas não podem ser mais fortes do que nós, mais fortes do que a graça de Deus que habita e vive em nós. E se, muitas vezes, as forças do mal estão reinando em nós, é porque estamos dando mais brechas e autoridade a ele do que à graça do Reino de Deus que habita em nós.
    Não deixemos que nossas relações sejam contaminadas nem dominadas pelas forças do mal. Não permitamos, de forma nenhuma, que, naquilo que fazemos e pensamos, sejamos dominados por sentimentos que são infernais. Inveja, fofoca, ciúme, intriga, maledicências, tormentos, ressentimentos e mágoas não podem dominar nossa vida. São sentimentos humanos com os quais precisamos lidar. Precisamos nos curar das influências que essas forças exercem em nós. Elas não podem mandar nem ter a última palavra em nossa vida, porque o poder e a autoridade que Deus nos deu não é para lutarmos uns contra os outros, para nos combatermos, gladiarmos nem brigarmos, mas para lutarmos contra as forças do mal, para combatermos o mal em nossa vida, e não uns aos outros.
    Se estamos, muitas vezes, doentes, enfermos e enfraquecidos, é por causa de tanta contaminação espiritual; é por, tantas vezes, cedermos às forças do mal, as quais nos enfraquecem no combate pelo bem.
    Usemos do poder e da autoridade de Deus para que Ele esteja no meio de nós.
    Deus abençoe você!

    Nenhum comentário :

    Twitter

    -->

    Culture