• Notícias de Última Hora

    terça-feira, 21 de novembro de 2017

    Tem nojo de banheiro público? Veja 7 mitos e verdades sobre o local

    Não precisa mais passar perrengue por ter medo de usar banheiro público. Se tomar as devidas precauções, você não vai correr grandes riscos, segundo os infectologistas ouvidos pelo UOL. A seguir, tire algumas dúvidas sobre o tema.

    1. É possível contrair DSTs em banheiros públicos Mito. 

    Não existe esse tipo de risco no banheiro. Ninguém pega gonorreia, por exemplo, por sentar no vaso sanitário. Além de não existir nenhum trabalho científico que comprove que alguém já pegou qualquer DST nessas circunstâncias, o contato da pele com uma superfície eventualmente contaminada não é uma forma usual de transmissão desse tipo de doença.

    2. Ao usar o sanitário, é melhor não encostar no vaso Verdade. 

    Pode haver resquícios de urina, fezes e até sangue, que nem sempre estão visíveis. A superfície do assento e a tampa do vaso costumam ser locais com alta concentração microbiológica. O vaso sanitário pode parecer íntegro, mas nem sempre dá para notar pequenas rachaduras ou trincas na sua superfície, que podem virar um depósito de microrganismos. Para sentar no vaso, existem soluções práticas, como protetores portáteis, impermeáveis e descartáveis, que conferem proteção extra.

    3. O ideal é dar descarga antes de usar o vaso, mesmo que ele esteja limpo Verdade. 

    A dica é sempre abaixar a tampa primeiro, para evitar respingos. Esse cuidado evita uma eventual contaminação por microrganismos que provocam infecções gastrointestinais, caso alguém que tenha usado o banheiro antes esteja com algum problema do tipo.

    4. Não se deve usar o papel higiênico do banheiro público Depende. 

    Você pode usá-lo sem pânico, desde que ele esteja limpo, seco e em um suporte protegido. Se o rolo estiver jogado no chão, molhado, com mofo ou qualquer tipo de  sujeira visível, aí é melhor passar bem longe. Se apenas a ponta estiver molhada, você pode desprezar essa parte e usar somente a parte seca.

    5. É possível contrair doenças ao usar o banheiro Verdade. 

    O maior risco é contrair infecções virais e bacterianas ao entrar em contato com microrganismos que causam essas doenças. Assim, uma mão que tocou em alguma superfície contaminada, se for levada à boca, pode carregar bactérias para dentro do corpo. Essa falta de cuidado pode gerar doenças como gastroenterocolites agudas virais e hepatite A. Já a candidíase vaginal, uma infecção bem comum, ocasionada por um fungo, não pode ser contraída pelo contato com o vaso sanitário.

    6. No banheiro, existem outros locais tão sujos quanto o vaso Verdade. 

    A tampa do vaso, a maçaneta da porta, as torneiras e os sabonetes em barra podem estar tão contaminados quanto o assento. Toalhas de pano, em locais públicos, também funcionam como um depósito de microrganismos. Por isso, sempre que possível, dê preferência ao sabonete líquido e proteja as mãos com papel toalha antes de tocar o mobiliário e as peças do banheiro.

    7. Tudo bem usar só álcool gel para higienizar as mãos Mito. 

    A lavagem das mãos com água e sabão líquido é uma etapa importante da higiene, que ajuda a diminuir os riscos de contaminação. E lave-as antes de aplicar o álcool, até mesmo no banheiro da sua casa.

    FONTES: Milton Lapchik, infectologista do Hospital São Luiz Morumbi; Adriana Proença, infectologista da rede de hospitais São Camilo; Paulo Olzon, infectologista, membro fundador da Sociedade Brasileira de Infectologia.

    Nenhum comentário :

    Twitter

    -->

    Culture