Casal relata caso de homofobia em padaria de São Paulo

© Facebook tatit-laura-homofobia-padaria
Por meio de seu perfil no Facebook, a jornalista e atriz Tatit Brandão relatou em seu perfil no Facebook o caso de homofobia pelo qual passou com a companheira, a psicóloga Laura M. Baruffaldi.
O episódio aconteceu na última sexta-feira (22), quando Tatit e Laura foram a padaria Delícia de Perdizes, localizada no bairro de Pompeia, em São Paulo, para tomar o café da manhã.
Segundo o relato, as duas se alimentavam e trocavam carinhos quando uma das funcionárias interrompeu a refeição para pedir que as carícias fossem interrompidas. “Olha, dois clientes já foram reclamar com o gerente o incômodo que vocês estão causando. Um deles, um senhor que estava com o filho e foi questionar que tipo de ambiente a padaria, que deveria ser um ‘ambiente familiar’, nesse momento está proporcionando. Então, eu peço a delicadeza de vocês serem discretas…”, pediu.
Ao perceber o espanto das clientes a funcionária tentou explicar o pedido. “Não é preconceito por vocês serem assim, nem nada, me desculpa, não é por mal, eu também sou gay e faz tempo, desde os meus 11 anos. Tem alguns lugares que eu me sinto bem à vontade… no Vermont, na República, no Arouche… mas é que lugares como aqui é bem complicado… Sabe? Meninas, me desculpem mesmo, a padaria quer receber e agradar todo mundo, o gerente pediu pra eu vir aqui falar com vocês porque ele sabe que eu sou gay e aqui nunca sofri nenhum preconceito em relação a isso, eles me aceitam normal…”, argumentou a funcionária.
Tatit chegou a questionar a solicitação do estabelecimento, mas percebeu que a situação era muito mais complexa do que parecia. “A moça tentou falar, continuou se embananando mais ainda, se emocionou, pediu desculpas e saiu da nossa frente chorando em direção ao banheiro. Essa cena se repetiu mais duas vezes. Ficamos, claro, paralisadas e incrédulas com o tamanho do horror a que nós três estávamos sendo submetidas”, lembra a jornalista.
Para Tatit o caso abordou dois problemas: homofobia e assédio moral no ambiente de trabalho. “Sofrer homofobia já é um horror sem fim. Sofrer homofobia e ao mesmo tempo presenciar um assédio moral descarado entre chefe-empregada sendo que a empregada sofre o mesmo tipo de opressão que você, é um horror elevado a enésima potência. A funcionária recebendo uma ordem do chefe não está em posição de argumentar, nem discutir, nem se negar a nada, ainda que a ordem seja oprimir pessoas iguais a ela, e a si mesma.”
Casal relata caso de homofobia em padaria de São Paulo Casal relata caso de homofobia em padaria de São Paulo Reviewed by Ricardo Adriano on dezembro 28, 2017 Rating: 5

Nenhum comentário

Teste Teste Teste Teste

Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste