Adbox
Tecnologia do Blogger.

Liturgia da Palavra de hoje (14)

Primeira Leitura (Is 41,13-20)
Leitura do Livro do Profeta Isaías.
13Eu sou o Senhor, teu Deus, que te tomo pela mão e te digo: “Não temas; eu te ajudarei. 14Não tenhas medo, Jacó, pobre verme, não temais, homens de Israel. Eu vos ajudarei”, diz o Senhor e Salvador, o Santo de Israel.
15Eis que te transformei num carro novo de triturar, guarnecido de dentes de serra. Hás de triturar e despedaçar os montes, e reduzirás as colinas a poeira. 16Ao expô-los ao vento, o vento os levará e o temporal os dispersará; exultarás no Senhor e te alegrarás no Santo de Israel.
17Pobres e necessitados procuram água, mas não há, estão com a língua seca de sede. Eu, o Senhor, os atenderei, eu, Deus de Israel, não os abandonarei. 18Farei nascer rios nas colinas escalvadas e fontes no meio dos vales; transformarei o deserto em lagos e a terra seca em nascentes d’água.
19Plantarei no deserto o cedro, a acácia e a murta e a oliveira; crescerão no ermo o pinheiro, o olmo e o cipreste juntamente, 20para que os homens vejam e saibam, considerem e compreendam que a mão do Senhor fez essas coisas e o Santo de Israel tudo criou.
- Palavra do Senhor.
- Graças a Deus

Responsório (Sl 144)
— Misericórdia e piedade é o Senhor! Ele é amor, é paciência, é compaixão.
— Misericórdia e piedade é o Senhor! Ele é amor, é paciência, é compaixão.
— Ó meu Deus, quero exaltar-vos, ó meu Rei, e bendizer o vosso nome pelos séculos. O Senhor é muito bom para com todos, sua ternura abraça toda criatura.
— Que vossas obras, ó Senhor, vos glorifiquem, e os vossos santos com louvores vos bendigam! Narrem a glória e o esplendor do vosso reino e saibam proclamar vosso poder!
— Para espalhar vossos prodígios entre os homens e o fulgor de vosso reino esplendoroso. O vosso reino é um reino para sempre, vosso poder, de geração em geração

Evangelho (Mt 11,11-15)
— O Senhor esteja convosco.
— Ele está no meio de nós.
— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo Mateus.
— Glória a vós, Senhor.
Naquele tempo, disse Jesus à multidão: 11“Em verdade eu vos digo, de todos os homens que já nasceram, nenhum é maior do que João Batista. No entanto, o menor no Reino dos Céus é maior do que ele. 12Desde os dias de João Batista até agora, o Reino dos Céus sofre violência, e são os violentos que o conquistam. 13Com efeito, todos os Profetas e a Lei profetizaram até João. 14E se quereis aceitar, ele é o Elias que há de vir. 15Quem tem ouvidos, ouça”.
— Palavra da Salvação.
— Glória a vós, Senhor

Homilia
O Tempo do Advento aponta-nos “figuras-chave” no Mistério da Salvação e da Encarnação de Jesus Cristo. Olhamos para João Batista, aquela voz que ruge e clama no deserto, anunciando aqu’Ele que vem.
João tem uma grandeza de alma que é conhecida por todos, mas onde está a grandeza de João? É por que ele é um profeta? É por que ele é predecessor do Messias? É por que ele está no deserto pregando a penitência?
Não! A grandeza de João está, justamente, em tornar-se pequeno, em não se elevar e nem deixar que nenhum sentimento de grandeza tome conta da sua alma. É ele quem vai nos dizer: “Convém que Ele cresça e eu diminua”.
Quem está a serviço do Evangelho e de Cristo, não busca reconhecimento, crescimento, importância, aplausos ou merecimentos humanos. Não busca luzes, holofotes e tão pouco aplausos para si, aplausos são somente para Cristo. Se faz menor, muitas vezes, nem aparece, não se mostra, entretanto, tudo o que ele faz, deixa a marca de Jesus, a presença d’Ele..
O mensageiro de Jesus só pode querer escutar uma coisa: “Eu encontrei Deus através de você. Você me leva para Ele. Você me faz conhecer a Deus. Você me aproxima de d’Ele”. Não trazemos as pessoas para nós, não somos capazes de curar e nem de cuidar, seja lá de quem for, porém, por vezes, a soberba, o nosso orgulho, a autossuficiência, nos levam a crer que nós somos bons e maravilhosos. Gostamos dos elogios, aplausos, no entanto, aquele que se faz menor, torna-se maior que João.
Há uma única competição no Reino dos Céus a qual precisamos fazer parte dela, e não podemos abrir mão: é a competição pela “pequenez”. A competição não pode ser jamais pela “grandeza”, pelo reconhecimento, jamais para querer tornar-se o melhor ou o mais aplaudido.
Às vezes, fico observando como os critérios do mundo, invadem o pensamento e os sentimentos de nós que, nos colocamos para sermos discípulos de Jesus.
As pessoas estão competindo quem é mais, quem pode mais, quem faz mais, quem está há mais tempo, quem tem esse ou aquele mérito. Porém, o mérito no Reino de Deus é ser o menor, é não se colocar acima dos outros ou sentir-se mais importantes do que os outros. Se assim o fizermos, estamos no caminho da salvação, e passando pelas estradas que João Batista abriu apontando-nos o Messias.
Convém a cada dia que somente Jesus cresça e que nós diminuamos.
Deus abençoe você!
Share on Google Plus

Sobre Ricardo Adriano

Sou pedagogo de formação, amo música, livros, poesias, trabalho com jardinagem e tudo um pouco, já fiz "um pouco". Sou amante da vida, da informação, das notícias que são levadas a você leitor (a). Estamos aqui para interagir. Obrigado por acessar este espaço.

0 comentários: