Liturgia da Palavra de hoje (14)

Primeira Leitura (Is 41,13-20)
Leitura do Livro do Profeta Isaías.
13Eu sou o Senhor, teu Deus, que te tomo pela mão e te digo: “Não temas; eu te ajudarei. 14Não tenhas medo, Jacó, pobre verme, não temais, homens de Israel. Eu vos ajudarei”, diz o Senhor e Salvador, o Santo de Israel.
15Eis que te transformei num carro novo de triturar, guarnecido de dentes de serra. Hás de triturar e despedaçar os montes, e reduzirás as colinas a poeira. 16Ao expô-los ao vento, o vento os levará e o temporal os dispersará; exultarás no Senhor e te alegrarás no Santo de Israel.
17Pobres e necessitados procuram água, mas não há, estão com a língua seca de sede. Eu, o Senhor, os atenderei, eu, Deus de Israel, não os abandonarei. 18Farei nascer rios nas colinas escalvadas e fontes no meio dos vales; transformarei o deserto em lagos e a terra seca em nascentes d’água.
19Plantarei no deserto o cedro, a acácia e a murta e a oliveira; crescerão no ermo o pinheiro, o olmo e o cipreste juntamente, 20para que os homens vejam e saibam, considerem e compreendam que a mão do Senhor fez essas coisas e o Santo de Israel tudo criou.
- Palavra do Senhor.
- Graças a Deus

Responsório (Sl 144)
— Misericórdia e piedade é o Senhor! Ele é amor, é paciência, é compaixão.
— Misericórdia e piedade é o Senhor! Ele é amor, é paciência, é compaixão.
— Ó meu Deus, quero exaltar-vos, ó meu Rei, e bendizer o vosso nome pelos séculos. O Senhor é muito bom para com todos, sua ternura abraça toda criatura.
— Que vossas obras, ó Senhor, vos glorifiquem, e os vossos santos com louvores vos bendigam! Narrem a glória e o esplendor do vosso reino e saibam proclamar vosso poder!
— Para espalhar vossos prodígios entre os homens e o fulgor de vosso reino esplendoroso. O vosso reino é um reino para sempre, vosso poder, de geração em geração

Evangelho (Mt 11,11-15)
— O Senhor esteja convosco.
— Ele está no meio de nós.
— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo Mateus.
— Glória a vós, Senhor.
Naquele tempo, disse Jesus à multidão: 11“Em verdade eu vos digo, de todos os homens que já nasceram, nenhum é maior do que João Batista. No entanto, o menor no Reino dos Céus é maior do que ele. 12Desde os dias de João Batista até agora, o Reino dos Céus sofre violência, e são os violentos que o conquistam. 13Com efeito, todos os Profetas e a Lei profetizaram até João. 14E se quereis aceitar, ele é o Elias que há de vir. 15Quem tem ouvidos, ouça”.
— Palavra da Salvação.
— Glória a vós, Senhor

Homilia
O Tempo do Advento aponta-nos “figuras-chave” no Mistério da Salvação e da Encarnação de Jesus Cristo. Olhamos para João Batista, aquela voz que ruge e clama no deserto, anunciando aqu’Ele que vem.
João tem uma grandeza de alma que é conhecida por todos, mas onde está a grandeza de João? É por que ele é um profeta? É por que ele é predecessor do Messias? É por que ele está no deserto pregando a penitência?
Não! A grandeza de João está, justamente, em tornar-se pequeno, em não se elevar e nem deixar que nenhum sentimento de grandeza tome conta da sua alma. É ele quem vai nos dizer: “Convém que Ele cresça e eu diminua”.
Quem está a serviço do Evangelho e de Cristo, não busca reconhecimento, crescimento, importância, aplausos ou merecimentos humanos. Não busca luzes, holofotes e tão pouco aplausos para si, aplausos são somente para Cristo. Se faz menor, muitas vezes, nem aparece, não se mostra, entretanto, tudo o que ele faz, deixa a marca de Jesus, a presença d’Ele..
O mensageiro de Jesus só pode querer escutar uma coisa: “Eu encontrei Deus através de você. Você me leva para Ele. Você me faz conhecer a Deus. Você me aproxima de d’Ele”. Não trazemos as pessoas para nós, não somos capazes de curar e nem de cuidar, seja lá de quem for, porém, por vezes, a soberba, o nosso orgulho, a autossuficiência, nos levam a crer que nós somos bons e maravilhosos. Gostamos dos elogios, aplausos, no entanto, aquele que se faz menor, torna-se maior que João.
Há uma única competição no Reino dos Céus a qual precisamos fazer parte dela, e não podemos abrir mão: é a competição pela “pequenez”. A competição não pode ser jamais pela “grandeza”, pelo reconhecimento, jamais para querer tornar-se o melhor ou o mais aplaudido.
Às vezes, fico observando como os critérios do mundo, invadem o pensamento e os sentimentos de nós que, nos colocamos para sermos discípulos de Jesus.
As pessoas estão competindo quem é mais, quem pode mais, quem faz mais, quem está há mais tempo, quem tem esse ou aquele mérito. Porém, o mérito no Reino de Deus é ser o menor, é não se colocar acima dos outros ou sentir-se mais importantes do que os outros. Se assim o fizermos, estamos no caminho da salvação, e passando pelas estradas que João Batista abriu apontando-nos o Messias.
Convém a cada dia que somente Jesus cresça e que nós diminuamos.
Deus abençoe você!
Liturgia da Palavra de hoje (14) Liturgia da Palavra de hoje (14) Reviewed by Ricardo Adriano on dezembro 14, 2017 Rating: 5

Nenhum comentário

Teste Teste Teste Teste

Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste