Briga por conta de vídeo pornô de WhatsApp leva à morte de servidora pública

Giselle Evangelista, de 38 anos, foi morta pelo namorado (Foto: Reprodução Facebook)
Um vídeo de pornografia recebido pelo WhatsApp foi o motivo para uma briga que resultou na morte da servidora pública Giselle Evangelista, de 38 anos, cometida pelo namorado dela, o comerciante José Carlos de Oliveira Júnior, de 37 anos. O homem foi detido confessou ter esganado Giselle até a morte.
Segundo informações do delegado Dannilo Proto, titular da Delegacia Estadual de Investigação de Homicídios, o comerciante relatou que a briga, por ciúmes, começou depois que ele recebeu um vídeo pornográfico pelo aplicativo de celular WhatsApp.
"Segundo ele, a vítima estava usando o celular dele, quando chegaram algumas mensagens e um vídeo pornográfico pelo WhatsApp e ela começou a questioná-lo, por ciúmes. Eles começaram a brigar e ela teria cuspido no rosto dele. Então ele a empurrou, ela caiu no chão e ele a esganou com as mãos", disse o delegado.
O comerciante também disse à polícia, em vários momentos do depoimento, que se arrepende do que fez e que a relação estava conturbada. Em 2017, José Carlos traiu Giselle, mas ela decidiu continuar com ele. Porém, os dois tinham constantes discussões, principalmente por ciúmes.
O acusado ainda relatou à polícia que tentou reanimar a namorada, após ter se arrependido do crime cometido. Eles planejavam se casar.
“Ele disse que havia reformado o apartamento porque eles iam se casar e que quando caiu em si e viu o que tinha feito, tentou fazer procedimentos para reanimar a vítima. Ele disse que fez massagem cardíaca e colocou até um ventilador perto dela, mas não funcionou", afirmou o delegado.
José Carlos foi indiciado por feminicídio, e a pena para o crime varia entre 12 e 30 anos de prisão. Ele já teve a prisão preventiva decretada.
O crime
O corpo de Gisele foi encontrado por familiares na tarde de sexta-feira (16), dentro do apartamento do suspeito na Vila Alpes, em Goiânia. Já Oliveira Júnior foi encontrado no sábado (17) em uma mata de Pirenópolis, onde estaria escondido. Segundo a polícia, ele queria fugir para a casa de parentes em Minaçu, mas o carro dele quebrou no caminho.
Parentes de Giselle relataram que receberam uma ligação do trabalho dela na manhã de sexta-feira informando que ela não havia comparecido. Como não conseguiram falar com ela, tampouco com o namorado, decidiram ir até o apartamento dele, onde encontraram o corpo da servidora sobre a cama.
Briga por conta de vídeo pornô de WhatsApp leva à morte de servidora pública Briga por conta de vídeo pornô de WhatsApp leva à morte de servidora pública Reviewed by Ricardo Adriano on fevereiro 20, 2018 Rating: 5

Nenhum comentário

Teste Teste Teste Teste

Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste