CAERN de Caraúbas (RN) não pode cobrar de seu consumidor aquilo que ele não usa

Cadê a água?
É no mínimo imoral o que está acontecendo com a população caraubense, quanto a distribuição de água pelas torneiras, que é de responsabilidade da CAERN (Companhia de Água e Esgotos do Rio Grande do Norte), pois a população grita por água, em plena intensa precipitações pluviométricas na cidade.

Há mais de 25 dias a população está sofrendo com a falta de água nas torneiras, pois todos estão com seus reservatórios secos, caixas de água a míngua, necessitando assim gastarem com a compra do líquido precioso, pelo carro pipa.

Segundo informações, parece que uma bomba, uma peça, algo que necessário para emitirem a água as residências, quebrou e teve que ser levado a outra cidade, não se sabe se Mossoró ou natal, para conserto e não há previsão de retorno.

Enquanto isso a população faz das tripas ao coração para conduzir as necessidades de uma casa, principalmente cheias de crianças e a conta da água, religiosamente, chega nas nossas casas, todos os meses.

O mais interessante é que a CAERN nos cobra uma taxa, de penalidade, para quem ultrapassa aos 10 mm³, de consumo, que paga aproximadamente o valor de R$ 40,00. Dos 11 aos 15 mm³, além da taxa normal, soma-se como penalidade, cinco vezes o valor por cada degrau penalizante, e assim por diante.

Pergunto: Como posso ser penalizado por um consumo que a própria Companhia me força a desenvolver, por não possuir água na minha torneira diariamente, me obrigando a encher caixa, cisterna, baldes, potes, vasilhas, com o receio de não saber quando virá a próxima demanda de abastecimento?

Tá complicado e muito difícil, já que uma pipa de água, de mais de 7000 mil litros, custa R$ 120,00.

CAERN de Caraúbas (RN) não pode cobrar de seu consumidor aquilo que ele não usa CAERN de Caraúbas (RN) não pode cobrar de seu consumidor aquilo que ele não usa Reviewed by Ricardo Adriano on abril 06, 2018 Rating: 5

Teste Teste Teste Teste

Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste