Liturgia da Palavra de hoje (18)

Primeira Leitura (At 25,13b-21)
Leitura dos Atos dos Apóstolos.
Naqueles dias, 13bo rei Agripa e Berenice chegaram a Cesaréia e foram cumprimentar Festo. 14Como ficassem alguns dias aí, Festo expôs ao rei o caso de Paulo, dizendo: “Está aqui um homem que Félix deixou como prisioneiro. 15Quando eu estive em Jerusalém, os sumos sacerdotes e os anciãos dos judeus apresentaram acusações contra ele e pediram-me que o condenasse. 16Mas eu lhes respondi que os romanos não costumam entregar um homem antes que o acusado tenha sido confrontado com os acusadores e possa defender-se da acusação.
17Eles vieram para cá e, no dia seguinte, sem demora, sentei-me no tribunal e mandei trazer o homem. 18Seus acusadores compareceram diante dele, mas não trouxeram nenhuma acusação de crimes de que eu pudesse suspeitar. 19Tinham somente certas questões sobre a sua própria religião e a respeito de um certo Jesus que já morreu, mas que Paulo afirma estar vivo. 20Eu não sabia o que fazer para averiguar o assunto. Perguntei então a Paulo se ele preferia ir a Jerusalém, para ser julgado lá. 21Mas Paulo fez uma apelação para que a sua causa fosse reservada ao juízo do Augusto Imperador. Então ordenei que ficasse preso até que eu pudesse enviá-lo a César.
- Palavra do Senhor.
- Graças a Deus.

Responsório (Sl 102)
— O Senhor pôs o seu trono lá nos céus.
— O Senhor pôs o seu trono lá nos céus.
— Bendize, ó minha alma, ao Senhor, e todo o meu ser, seu santo nome! Bendize, ó minha alma, ao Senhor, não te esqueças de nenhum de seus favores!
— Quanto os céus por sobre a terra se elevam, tanto é grande o seu amor aos que o temem; quanto dista o nascente do poente, tanto afasta para longe nossos crimes.
— O Senhor pôs o seu trono lá nos céus, e abrange o mundo inteiro seu reinado. Bendizei ao Senhor Deus, seus anjos todos, valorosos que cumpris as suas ordens.

Evangelho (Jo 21,15-19)
— O Senhor esteja convosco.
— Ele está no meio de nós.
— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo João.
— Glória a vós, Senhor.
Jesus manifestou-se aos seus discípulos 15e, depois de comerem, perguntou a Simão Pedro: “Simão, filho de João, tu me amas mais do que estes?” Pedro respondeu: “Sim, Senhor, tu sabes que eu te amo”. Jesus disse: “Apascenta os meus cordeiros”.
16E disse de novo a Pedro: “Simão, filho de João, tu me amas?” Pedro disse: “Sim, Senhor, tu sabes que eu te amo”. Jesus disse-lhe: “Apascenta as minhas ovelhas”. 17Pela terceira vez, perguntou a Pedro: “Simão, filho de João, tu me amas?” Pedro ficou triste, porque Jesus perguntou três vezes se ele o amava. Respondeu: “Senhor, tu sabes tudo; tu sabes que eu te amo”. Jesus disse-lhe: “Apascenta as minhas ovelhas. 18Em verdade, em verdade te digo: quando eras jovem, tu te cingias e ias para onde querias. Quando fores velho, estenderás as mãos e outro te cingirá e te levará para onde não queres ir”.
19Jesus disse isso, significando com que morte Pedro iria glorificar a Deus. E acrescentou: “Segue-me”.
— Palavra da Salvação.
— Glória a vós, Senhor.

Homilia

A condição essencial e fundamental para seguir Jesus é amá-Lo sempre, de todo coração, com toda a vida e convicção. Nem mesmo nossas fraquezas e pecados podem derrubar o amor de Deus que está em nós, mas se dermos voz mais para as nossas quedas, para as nossas fraquezas e debilidades, a força do amor não vence as nossas fraquezas.
Durante quarenta dias que esteve com Seus discípulos, o Ressuscitado não foi perguntar nem “jogar na cara” de nenhum deles suas fraquezas e seus pecados. “Por que vocês me abandonaram? Pedro, por que você me negou três vezes?”. Não, Ele queria saber se Pedro O amava de verdade.
Quem ama busca o amor e não as fraquezas do outro, não busca deixar o outro constrangido com os seus erros e limites, por isso o amor de Deus não é para nos deixar com complexo de inferioridade, não é para nos deixar com complexo de culpa. O amor de Deus em nós é para curar os nossos sentimentos de culpa, de erros e assim por diante.
Quando Jesus pergunta: “Pedro, tu me amas?”, é como se cada um pudesse escutar o seu próprio nome. Jesus perguntou isso para Pedro pelo menos três vezes, e Pedro morreu escutando essa pergunta.
Escutemos, todos os dias, o Mestre dirigir o seu olhar para nós e dizer: “Tu me amas?”. Mesmo nas nossas fraquezas, nos nossos pecados, levantemos e proclamemos, em alto e bom tom, ainda que seja com a voz engasgada: “Senhor, tu sabes que eu te amo”.
Amemos cada dia mais o Senhor, não da boca para fora, mas que o nosso coração grite o tamanho do amor que temos por Deus. O amor tudo cura, tudo liberta e restaura.
Deus abençoe você!
Liturgia da Palavra de hoje (18) Liturgia da Palavra de hoje (18) Reviewed by Ricardo Adriano on maio 18, 2018 Rating: 5

Nenhum comentário

Teste Teste Teste Teste

Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste