Liturgia da Palavra de hoje (18)

Primeira Leitura (Is 10,5-7.13-16)
Leitura do Livro do Profeta Isaías.
Assim fala o Senhor: 5“Ai de Assur, vara de minha cólera, bastão em minhas mãos, instrumento de minha indignação! 6Eu o envio contra uma nação ímpia e ordeno-lhe, contra um povo que me excita à ira, que o submeta à pilhagem e ao saque, que o calque aos pés como lama nas ruas.
7Mas ele assim não pensava, seu propósito não era esse; pelo contrário, sua intenção era esmagar e exterminar não poucas nações. 13Pois diz o rei da Assíria: ‘Realizei isso pela força de minha mão e com minha sagacidade, pois tenho experiência; aboli as fronteiras dos povos, saqueei seus tesouros, e derrubei de golpe os ocupantes de altos postos; 14minha mão espalmou como um ninho a riqueza dos povos; e como se apanha uma ninhada de ovos, assim ajuntei eu os povos da terra, e não houve quem batesse asa ou abrisse o bico e desse um pio’.
15Mas acaso gloria-se o machado, em detrimento do lenhador que com ele corta? Ou se exalta a serra contra o serrador que a maneja? Como se a vara movesse quem a levanta e um bastão erguesse aquele que não é madeira. 16Por isso, enviará o Dominador, Senhor dos exércitos, contra aqueles fortes guerreiros o raquitismo; e abalará sua glória com convulsões que queimam como fogo”.
- Palavra do Senhor.
- Graças a Deus.

Responsório (Sl 93)
— O Senhor não rejeita o seu povo.
— O Senhor não rejeita o seu povo.
— Eis que oprimem, Senhor, vosso povo e humilham a vossa herança; estrangeiro e viúva trucidam, e assassinam o pobre e o órfão!
— Eles dizem: “O Senhor não nos vê e o Deus de Jacó não percebe!” Entendei, ó estultos do povo; insensatos, quando é que vereis?
— O que fez o ouvido não ouve? Quem os olhos formou não verá? Quem educa as nações não castiga? Quem os homens ensina não sabe?
— O Senhor não rejeita o seu povo e não pode esquecer sua herança: voltarão a juízo as sentenças; quem é reto andará na justiça.

Evangelho (Mt 11,25-27)
— O Senhor esteja convosco.
— Ele está no meio de nós.
— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo Mateus.
— Glória a vós, Senhor.
25Naquele tempo, Jesus pôs-se a dizer: “Eu te louvo, ó Pai, Senhor do céu e da terra, porque escondeste estas coisas aos sábios e entendidos e as revelaste aos pequeninos. 26Sim, Pai, porque assim foi do teu agrado. 27Tudo me foi entregue por meu Pai, e ninguém conhece o Filho, senão o Pai, e ninguém conhece o Pai, senão o Filho e aquele a quem o Filho o quiser revelar”.
— Palavra da Salvação.
— Glória a vós, Senhor.

Homilia
O coração de Jesus está louvando, agradecendo, bendizendo, adorando e glorificando o Pai, porque Ele realiza maravilhas no meio de nós. E qual é a grande maravilha que o Pai faz? Ele habita no meio de nós, está morando entre nós. Onde o Pai mora? Onde o nosso Deus mora e habita?
Ele não está nos sábios nem nos entendidos, mas nos corações pequenos, nas almas humildes, naquele que se faz pequeno. É ali que o Deus grande habita. É bom parar para escutar pessoas sábias, entendidas, cheias de conhecimentos, de ciências e coisas teóricas para nos ensinar.
Encontramos sabedoria humana, mas não encontramos Deus, não encontramos a paz nem a presença amorosa do Senhor no meio de nós. Precisamos ser o lugar da morada do Senhor, que habita em nós quando a nossa alma se torna verdadeiramente humilde.
Ser humilde não é fácil. Podemos até nascer humildes, mas à medida que vamos caminhando nas estradas da vida, vamos acumulando os orgulhos do mundo. Às vezes, os nossos pais têm excesso de orgulho de nós, e assim o nosso orgulho incha, cresce e vamos aprendendo a acumulá-lo, a ser melhor nisso e naquilo. Alguns dizem: “Conquistei isso e aquilo. Eu sou assim. Eu descobri. Eu sei. Eu posso”. Essas são as vantagens humanas, as vanglórias do mundo, a soberba humana, mas o pior de tudo são as vaidades da vida.
As vaidades deslumbram o nosso olhar e nos enchem do orgulho do mundo. Para nos encontrarmos com o Senhor da vida, para que Ele faça morada em nós, é preciso desfazer essa tenda que o orgulho criou em cima de nós.
“Eu te louvo e te bendigo, Pai, porque o Senhor faz morada no meio de nós. E onde te encontro? Encontro-te em mim, no meu irmão e nas pessoas que se fazem pobres e humildes de coração, porque ali é o lugar da Sua morada.
Deus abençoe você!
Liturgia da Palavra de hoje (18) Liturgia da Palavra de hoje (18) Reviewed by Ricardo Adriano on julho 18, 2018 Rating: 5

Nenhum comentário

Teste Teste Teste Teste

Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste