Achada a primeira filha fruto do sexo entre duas espécies humanas diferentes

© Fornecido por El Pais Brasil Richard Roberts, Vladimir Ulianov e Maxim Kozlikin na gruta de Denisova, onde foram achados os restos da jovem híbrida
Há mais de 50.000 anos, uma mulher neandertal e um homem denisovano fizeram sexo e alguns meses depois ela deu à luz uma menina. Muitos séculos mais tarde, numa gruta siberiana junto à cordilheira de Altai, foram encontrados os ossos que deixou aquela menina híbrida, que teria 13 anos ao morrer. Há quase uma década se sabe que os neandertais, denisovanos e humanos modernos tiveram descendência em algumas circunstâncias, mas nunca havia sido encontrado um filho de um casal misto.
Nesta quarta-feira, 22, a revista Nature publica o genoma do primeiro destes humanos. Uma equipe liderada por Viviane Slon e Svante Pääbo, do Instituto Max Planck de Antropologia Evolutiva de Leipzig (Alemanha), analisou o DNA extraído de um fragmento de osso da jovem e concluiu que a mãe era neandertal e o pai denisovano. A primeira vincula a adolescente à linhagem de uma espécie muito conhecida, à qual se atribuem as primeiras expressões artísticas conhecidas e que deixaram seus ossos e ferramentas por toda a Europa. Seu pai a transforma na descendente de um grupo muito mais misterioso, conhecido só a partir das análises genéticas de pequenos fragmentos de ossos encontrados unicamente na gruta russa de Denisova.
Achada a primeira filha fruto do sexo entre duas espécies humanas diferentes Achada a primeira filha fruto do sexo entre duas espécies humanas diferentes Reviewed by Ricardo Adriano on agosto 23, 2018 Rating: 5

Nenhum comentário

Teste Teste Teste Teste

Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste