Adbox
Tecnologia do Blogger.

Liturgia da Palavra de hoje (18)

Primeira Leitura (Ez 18,1-10.13b.30-32)
Leitura da Profecia de Ezequiel
1A palavra do Senhor foi-me dirigida nestes termos: 2“Que provérbio é esse que andais repetindo em Israel: ‘Os pais comeram uvas verdes, e os dentes dos filhos ficaram embotados?’ 3Juro por minha vida — oráculo do Senhor Deus —, já não haverá quem repita esse provérbio em Israel. 4Todas as vidas me pertencem. Tanto a vida do pai como a vida do filho são minhas. Aquele que pecar é que deve morrer.
5Se um homem é justo e pratica o direito e a justiça, 6não participa de refeições rituais sobre os montes, não levanta os olhos para os ídolos da casa de Israel, não desonra a mulher do próximo, nem se aproxima da mulher menstruada; 7se não oprime ninguém, devolve o penhor devido, não pratica roubos, dá alimento ao faminto e cobre de vestes o que está nu; 8se não empresta com usura, nem cobra juros, afasta sua mão da injustiça, e julga imparcialmente entre homem e mulher; 9se vive conforme as minhas leis e guarda os meus preceitos, praticando-os fielmente, tal homem é justo e, com certeza, viverá — oráculo do Senhor Deus.
10Mas, se tiver um filho violento e assassino, que pratica uma dessas ações, 13btal filho de modo algum viverá. Porque fez todas essas coisas abomináveis, com certeza, morrerá; ele é responsável pela sua própria morte.
30Pois bem, vou julgar cada um de vós, ó casa de Israel, segundo a sua conduta — oráculo do Senhor Deus. Arrependei-vos, convertei-vos de todas as vossas transgressões, a fim de não terdes ocasião de cair em pecado. 31Afastai-vos de todos os pecados que praticais. Criai para vós um coração novo e um espírito novo. Por que haveis de morrer, ó casa de Israel? 32Pois eu não sinto prazer na morte de ninguém — oráculo do Senhor Deus. Convertei-vos e vivereis!”
- Palavra do Senhor.
- Graças a Deus.

Responsório (Sl 50)
— Ó Senhor, criai em mim um coração que seja puro!
— Ó Senhor, criai em mim um coração que seja puro!
— Criai em mim um coração que seja puro, dai-me de novo um espírito decidido. Ó Senhor, não me afasteis de vossa face, nem retireis de mim o vosso Santo Espírito!
— Dai-me de novo a alegria de ser salvo e confirmai-me com espírito generoso! Ensinarei vosso caminho aos pecadores, e para vós se voltarão os transviados.
— Pois não são de vosso agrado os sacrifícios, e, se oferto um holocausto, o rejeitais. Meu sacrifício é minha alma penitente, não desprezeis um coração arrependido!

Evangelho (Mt 19,13-15)
— O Senhor esteja convosco.
— Ele está no meio de nós.
— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo Mateus.
— Glória a vós, Senhor.
Naquele tempo, 13levaram crianças a Jesus, para que impusesse as mãos sobre elas e fizesse uma oração. Os discípulos, porém, as repreendiam. 14Então Jesus disse: “Deixai as crianças e não as proibais de vir a mim, porque delas é o Reino dos Céus”. 15E depois de impor as mãos sobre elas, Jesus partiu dali.
— Palavra da Salvação.
— Glória a vós, Senhor.

Homilia
Jamais podemos proibir as crianças de irem até Jesus; de irem à Igreja e de aproximarem-se do Reino dos Céus. Que beleza são nossas Igrejas repletas de crianças! Que beleza ver uma mãe levando seu filho no ventre à Igreja. Que beleza ver a mãe com uma criança no colo. Que beleza ver as crianças pequenas indo à Igreja.
Não podemos proibir, pelo contrário, temos que chamar, atrair e buscar as crianças porque o Reino dos Céus pertence a quem seja parecido com elas. É importante lembrar uma coisa: as crianças precisam ser acolhidas, amadas e abençoadas em nossa Igreja.
As crianças não podem ser levadas à Igreja como se lá fosse um parque de diversão. Elas precisam ser levadas para lá para serem acolhidas e entenderem a importância e significância que elas têm para a Igreja, segundo o próprio sentimento evangélico.
Precisamos ser os primeiros a dar as boas-vindas e mostrar para elas o quanto são importantes em nossa Igreja. Precisamos também, no dia a dia, cuidar de nossas crianças, saber da importância que elas têm para o mundo, para a sociedade e para a nossa fé. Ouvir as crianças, rezar por elas, abençoá-las.
Vejo que, muitas vezes, os pais já nem abençoam mais os seus filhos ou abençoam de qualquer jeito. Quando estou abençoando uma criança, ela está também me abençoando com a pureza, com a simplicidade e a graça que emana do ‘ser’ criança.
O Reino do Céus acontece quando sabemos acolher cada criança que se aproxima de nós! Eu valorizo, respeito, amo e abençoo as crianças, porque elas são o sinais visíveis de que o Reino de Deus está no meio de nós.
Deus abençoe você!
Share on Google Plus

Sobre Ricardo Adriano

Sou pedagogo de formação, amo música, livros, poesias, trabalho com jardinagem e tudo um pouco, já fiz "um pouco". Sou amante da vida, da informação, das notícias que são levadas a você leitor (a). Estamos aqui para interagir. Obrigado por acessar este espaço.

0 comentários: