Liturgia da Palavra de hoje (18)

Primeira Leitura (Ez 18,1-10.13b.30-32)
Leitura da Profecia de Ezequiel
1A palavra do Senhor foi-me dirigida nestes termos: 2“Que provérbio é esse que andais repetindo em Israel: ‘Os pais comeram uvas verdes, e os dentes dos filhos ficaram embotados?’ 3Juro por minha vida — oráculo do Senhor Deus —, já não haverá quem repita esse provérbio em Israel. 4Todas as vidas me pertencem. Tanto a vida do pai como a vida do filho são minhas. Aquele que pecar é que deve morrer.
5Se um homem é justo e pratica o direito e a justiça, 6não participa de refeições rituais sobre os montes, não levanta os olhos para os ídolos da casa de Israel, não desonra a mulher do próximo, nem se aproxima da mulher menstruada; 7se não oprime ninguém, devolve o penhor devido, não pratica roubos, dá alimento ao faminto e cobre de vestes o que está nu; 8se não empresta com usura, nem cobra juros, afasta sua mão da injustiça, e julga imparcialmente entre homem e mulher; 9se vive conforme as minhas leis e guarda os meus preceitos, praticando-os fielmente, tal homem é justo e, com certeza, viverá — oráculo do Senhor Deus.
10Mas, se tiver um filho violento e assassino, que pratica uma dessas ações, 13btal filho de modo algum viverá. Porque fez todas essas coisas abomináveis, com certeza, morrerá; ele é responsável pela sua própria morte.
30Pois bem, vou julgar cada um de vós, ó casa de Israel, segundo a sua conduta — oráculo do Senhor Deus. Arrependei-vos, convertei-vos de todas as vossas transgressões, a fim de não terdes ocasião de cair em pecado. 31Afastai-vos de todos os pecados que praticais. Criai para vós um coração novo e um espírito novo. Por que haveis de morrer, ó casa de Israel? 32Pois eu não sinto prazer na morte de ninguém — oráculo do Senhor Deus. Convertei-vos e vivereis!”
- Palavra do Senhor.
- Graças a Deus.

Responsório (Sl 50)
— Ó Senhor, criai em mim um coração que seja puro!
— Ó Senhor, criai em mim um coração que seja puro!
— Criai em mim um coração que seja puro, dai-me de novo um espírito decidido. Ó Senhor, não me afasteis de vossa face, nem retireis de mim o vosso Santo Espírito!
— Dai-me de novo a alegria de ser salvo e confirmai-me com espírito generoso! Ensinarei vosso caminho aos pecadores, e para vós se voltarão os transviados.
— Pois não são de vosso agrado os sacrifícios, e, se oferto um holocausto, o rejeitais. Meu sacrifício é minha alma penitente, não desprezeis um coração arrependido!

Evangelho (Mt 19,13-15)
— O Senhor esteja convosco.
— Ele está no meio de nós.
— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo Mateus.
— Glória a vós, Senhor.
Naquele tempo, 13levaram crianças a Jesus, para que impusesse as mãos sobre elas e fizesse uma oração. Os discípulos, porém, as repreendiam. 14Então Jesus disse: “Deixai as crianças e não as proibais de vir a mim, porque delas é o Reino dos Céus”. 15E depois de impor as mãos sobre elas, Jesus partiu dali.
— Palavra da Salvação.
— Glória a vós, Senhor.

Homilia
Jamais podemos proibir as crianças de irem até Jesus; de irem à Igreja e de aproximarem-se do Reino dos Céus. Que beleza são nossas Igrejas repletas de crianças! Que beleza ver uma mãe levando seu filho no ventre à Igreja. Que beleza ver a mãe com uma criança no colo. Que beleza ver as crianças pequenas indo à Igreja.
Não podemos proibir, pelo contrário, temos que chamar, atrair e buscar as crianças porque o Reino dos Céus pertence a quem seja parecido com elas. É importante lembrar uma coisa: as crianças precisam ser acolhidas, amadas e abençoadas em nossa Igreja.
As crianças não podem ser levadas à Igreja como se lá fosse um parque de diversão. Elas precisam ser levadas para lá para serem acolhidas e entenderem a importância e significância que elas têm para a Igreja, segundo o próprio sentimento evangélico.
Precisamos ser os primeiros a dar as boas-vindas e mostrar para elas o quanto são importantes em nossa Igreja. Precisamos também, no dia a dia, cuidar de nossas crianças, saber da importância que elas têm para o mundo, para a sociedade e para a nossa fé. Ouvir as crianças, rezar por elas, abençoá-las.
Vejo que, muitas vezes, os pais já nem abençoam mais os seus filhos ou abençoam de qualquer jeito. Quando estou abençoando uma criança, ela está também me abençoando com a pureza, com a simplicidade e a graça que emana do ‘ser’ criança.
O Reino do Céus acontece quando sabemos acolher cada criança que se aproxima de nós! Eu valorizo, respeito, amo e abençoo as crianças, porque elas são o sinais visíveis de que o Reino de Deus está no meio de nós.
Deus abençoe você!
Liturgia da Palavra de hoje (18) Liturgia da Palavra de hoje (18) Reviewed by Ricardo Adriano on agosto 18, 2018 Rating: 5

Nenhum comentário

Teste Teste Teste Teste

Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste