Adbox
Tecnologia do Blogger.

Lula e Bolsonaro são os únicos a se sair bem em todas as regiões do país


As pesquisas de intenção de voto mais recentes serviram de base para o levantamento. Foi elencado o desempenho dos 5 candidatos ao Planalto mais competitivos das eleições de 2018 nas 27 unidades da Federação.
Os dados foram compilados no agregador de pesquisas do Poder 360 que, em parceria com a Google News Initiative, mantém o maior banco de dados com resultados de pesquisas de intenção de voto do Brasil. Acesse aqui.
O acervo reúne todos os levantamentos com metodologia conhecida e nos quais foi possível verificar a origem das informações. O gráfico principal agrega todos os resultados e traça uma linha para cada candidato de acordo com seu desempenho em diferentes cenários, entre eles, as pesquisas mostradas neste levantamento.
O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) lidera em 21 Estados. Ele só perde para o deputado Jair Bolsonaro (PSL) no Acre, Distrito Federal, Roraima e Santa Catarina.
Na outra ponta está Geraldo Alckmin (PSDB). O tucano tem o pior desempenho em 24 Estados entre os principais candidatos da disputa. Só não está na lanterna em Santa Catarina, Sergipe e no seu Estado natal, São Paulo.
Apenas Lula e Bolsonaro têm grande apelo em todo o Brasil. Alckmin, Ciro Gomes (PDT) e Marina Silva (Rede) lutam para romper a barreira dos 10%.
Marina supera os 2 dígitos no Acre, Amapá, Distrito Federal e Pará.  Ciro e Alckmin só alcançam o feito em seus Estados de origem, Ceará e São Paulo, respectivamente.
A tabela a seguir mostra o desempenho dos candidatos em cada 1 dos 26 Estados e no Distrito Federal. Estão marcados em azul os percentuais de quem vence em cada localidade. Em vermelho, a taxa de intenção de voto do mais mal avaliado.

Qual o candidato do PT?

Um dos pontos de incerteza no pleito de outubro é a possibilidade de o ex-presidente Lula ser impedido de concorrer. Ele está preso em Curitiba desde abril após ter sido condenado em 2ª Instância por corrupção passiva e lavagem de dinheiro na Lava Jato.
O partido trabalha para que seu plano B seja o ex-prefeito de São Paulo e ex-ministro da Educação, Fernando Haddad.
Caso o cenário provável se concretize, não é possível afirmar o tamanho da capacidade de transferência de votos de Lula para Haddad.
Há outros candidatos bem posicionados no pleito que também disputarão o espólio deixado pelo líder sindical. Ciro Gomes e Marina Silva são os que mais se dispõem a isso. Mas não se sabe quantos possíveis eleitores de Lula estariam disposto a votar em Bolsonaro, por exemplo.
Paloma Rodrigues - MSN Política
Share on Google Plus

Sobre Ricardo Adriano

Sou pedagogo de formação, amo música, livros, poesias, trabalho com jardinagem e tudo um pouco, já fiz "um pouco". Sou amante da vida, da informação, das notícias que são levadas a você leitor (a). Estamos aqui para interagir. Obrigado por acessar este espaço.

0 comentários: