Eleições 2018: Haddad e Bolsonaro avançam, mas sombra da rejeição aumenta

Números apontam para uma nova polarização entre Bolsonaro e o PT
As pesquisas de intenção de voto Ibope e Datafolha divulgadas esta semana apontam para uma nova polarização nas eleições entre Jair Bolsonaro (PSL) e o PT, agora na figura de Fernando Haddad - quando Luiz Inácio Lula da Silva ainda era candidato, o cenário eleitoral também estava dividido entre ele e o ex-capitão do Exército.
Os perfis de eleitores dos dois candidatos são opostos. Bolsonaro lidera entre maior renda, maior escolaridade, Sudeste e Sul. Haddad está à frente entre mais pobres, de baixa escolaridade, no Nordeste. Por um lado, os candidatos têm os eleitores mais convictos. Por outro, são os mais rejeitados.
Tanto Bolsonaro quanto Haddad cresceram nas últimas semanas, ao contrário dos demais concorrentes mais próximos. Bolsonaro oscilou para cima, dentro da margem de erro, e permanece isolado na primeira posição. O candidato está impossibilitado de fazer campanha, se recuperando do atentado que sofreu em 6 de setembro.
Já Haddad cresceu e alcançou a segunda colocação, se afastando de um embolado segundo pelotão. Há dez dias, quatro candidatos estavam em empate técnico no segundo lugar - além de Haddad, Ciro Gomes (PDT), Geraldo Alckmin (PSDB) e Marina Silva (Rede).
Eleições 2018: Haddad e Bolsonaro avançam, mas sombra da rejeição aumenta Eleições 2018: Haddad e Bolsonaro avançam, mas sombra da rejeição aumenta Reviewed by Ricardo Adriano on setembro 22, 2018 Rating: 5

Nenhum comentário

Teste Teste Teste Teste

Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste