Adbox
Tecnologia do Blogger.

Liturgia da Palavra de hoje (12)

Primeira Leitura (1Cor 7,25-31)
Leitura da Primeira Carta de São Paulo aos Coríntios.
Irmãos, 25a respeito das pessoas solteiras, não tenho nenhum mandamento do Senhor. Mas, como alguém que, por misericórdia de Deus, merece confiança, dou uma opinião: 26Penso que, em razão das angústias presentes, é vantajoso não se casar, é bom cada qual estar assim.
27Estás ligado a uma mulher? Não procures desligar-te. Não estás ligado a nenhuma mulher? Não procures ligar-te. 28Se, porém, casares, não pecas. E, se a virgem se casar, não peca. Mas as pessoas casadas terão as tribulações da vida matrimonial; e eu gostaria de poupar-vos disso. 29Eu digo, irmãos: o tempo está abreviado. Então, que, doravante, os que têm mulher vivam como se não tivessem mulher; 30e os que choram, como se não chorassem, e os que estão alegres, como se não estivessem alegres, e os que fazem compras, como se não possuíssem coisa alguma; 31e os que usam do mundo, como se dele não estivessem gozando. Pois a figura deste mundo passa.
- Palavra do Senhor.
- Graças a Deus.

Responsório (Sl 44)
— Escutai, minha filha, olhai, ouvi isto!
— Escutai, minha filha, olhai, ouvi isto!
— Escutai, minha filha, olhai, ouvi isto: “Esquecei vosso povo e a casa paterna! Que o Rei se encante com vossa beleza! Prestai-lhe homenagem: é vosso Senhor!
— Majestosa, a princesa real vem chegando, vestida de ricos brocados de ouro. Em vestes vistosas ao Rei se dirige, e as virgens amigas lhe formam cortejo.
— Entre cantos de festa e com grande alegria, ingressam, então, no palácio real”. Deixareis vossos pais, mas tereis muitos filhos; fareis deles soberanos da terra.

Evangelho (Lc 6,20-26)
— O Senhor esteja convosco.
— Ele está no meio de nós.
— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo Lucas.
— Glória a vós, Senhor.
Naquele tempo, 20Jesus, levantando os olhos para os seus discípulos, disse: “Bem-aventurados vós, os pobres, porque vosso é o Reino de Deus! 21Bem-aventurados vós que agora tendes fome, porque sereis saciados! Bem-aventurados vós que agora chorais, porque havereis de rir! 22Bem-aventurados sereis, quando os homens vos odiarem, vos expulsarem, vos insultarem e amaldiçoarem o vosso nome, por causa do Filho do Homem!
23Alegrai-vos, nesse dia, e exultai pois será grande a vossa recompensa no céu; porque era assim que os antepassados deles tratavam os profetas. 24Mas, ai de vós, ricos, porque já tendes vossa consolação! 25Ai de vós que agora tendes fartura, porque passareis fome! Ai de vós que agora rides, porque tereis luto e lágrimas! 26Ai de vós quando todos vos elogiam! Era assim que os antepassados deles tratavam os falsos profetas.
— Palavra da Salvação.
— Glória a vós, Senhor.

Homilia
Veja que o olhar de Jesus se voltou para Seus discípulos, e Ele sabia que quem O tinha seguido tinha um coração desprendido, porque quem não se desprende não consegue O seguir.
Queremos ser discípulos de Jesus, queremos segui-Lo, porque a felicidade é Ele. A vida bem-aventurada quem nos concede é Ele.
Quando vamos atrás de Jesus e permitimos que Ele seja o Mestre da nossa vida, Ele sempre nos mostra o caminho da felicidade. Há, no entanto, um engano e uma ilusão acharmos que a felicidade da vida está na posse, nos bens materiais, no “ter as coisas”. De forma nenhuma! Basta ver que as pessoas que muito têm e muito sofrem para manter o que têm. Não é aquele sofrimento que acontece na vida, mas é a agonia anterior para manter a posse, é a agonia da cobiça que toma conta do coração.
Podemos ter tudo na vida sem deixarmos de ser pobre. A “pobreza” é um adjetivo qualitativo que enobrece a alma humana, que é desapegada e simples, é aquela pessoa que mantém o coração humilde mesmo tendo títulos, grandezas e reconhecimentos.
Madre Teresa de Calcutá ganhou o prêmio Nobel da Paz, viajou o mundo inteiro, diversas autoridades beijaram suas mãos, e ela dizia: “Não perdi um milímetro sequer do sentimento da minha alma ou do meu coração por causa das vaidades humanas”.
Envaidecemo-nos por qualquer coisa, deixamos a alma se elevar por qualquer sentimento de grandeza. A pobreza de espírito que traz felicidade para a alma é, quem sabe, contentar-se com o pouco, não se envaidecer nem se comparar àqueles que têm, com os que mais podem, com os que são mais bonitos. A felicidade está em ser simples, a felicidade está na nossa vida quando procuramos abrir a porta do coração, para que os sentimentos evangélicos estejam na nossa alma.
É muito importante dizer que a felicidade não bate à nossa porta somente quando ganhamos na loteria ou quando ficamos ricos. A felicidade bate à nossa porta quando nos encontramos com Cristo e O deixamos ser a grande riqueza da nossa vida. Ele é a felicidade que o nosso coração tanto anseia!
Deus abençoe você!
Share on Google Plus

Sobre Ricardo Adriano

Sou pedagogo de formação, amo música, livros, poesias, trabalho com jardinagem e tudo um pouco, já fiz "um pouco". Sou amante da vida, da informação, das notícias que são levadas a você leitor (a). Estamos aqui para interagir. Obrigado por acessar este espaço.

0 comentários: