Adbox
Tecnologia do Blogger.

Se um casal está tentando ter um bebê por no mínimo seis meses mas sem sucesso, existe algum culpado?

Ter um bebê é um esforço conjunto e não deve haver responsabilidade de culpa para os envolvidos. Enquanto o comum é achar que geralmente são as mulheres que têm maiores problemas de fertilidade, as estatísticas indicam que a infertilidade masculina é responsável por 40-50% das consultas médicas sobre o problema em engravidar e afeta 7% de todos os homens.

Essas estatísticas surpreendem a maioria das pessoas, provavelmente porque muito foi publicado e compartilhado sobre a experiência feminina. Mas a infertilidade masculina não deve ser ignorada e é uma parte importante para se entender sobre concepção.

Ao contrário das mulheres que têm períodos cíclicos de fertilidade, os homens têm um processo contínuo de produção de espermatozoides, sendo produzidos 1500 a cada batida do coração. Causas típicas de infertilidade masculina são baixa contagem de espermatozoides e anormalidades que afetam a produção, transporte ou entrega deles.

Outros fatores que afetam a produção e a qualidade dos sêmen:

  • Envelhecimento reprodutivo: Os parâmetros do sêmen diminuem após os 35 anos, e ainda mais após os 50 anos.

  • Varicoceles: Ou veias alargadas (semelhantes às veias varicosas) dentro do escroto, são uma causa comum de problemas de produção de espermatozoides que afeta 40% dos homens que são inférteis.

  • Desequilíbrio hormonal: Os homens também não são imunes a desequilíbrios hormonais. Muito estrogênio, baixos níveis de testosterona ou problemas de tireoide podem causar infertilidade.

  • Condições gerais de saúde: Obesidade, infecções, quimioterapia ou radiação e doenças como diabetes, renal ou hepática podem afetar a produção de espermatozoides. Até mesmo uma gripe entre os três meses do teste de fertilidade pode dar um resultado anormal de análise de sêmen.

  • Toxinas ambientais: Alguns estudos mostram um efeito negativo de exposições ambientais, como pesticidas, chumbo, microondas e prescrição, como medicamentos OTC no sêmen. O tabagismo mostrou diminuir a densidade do esperma, a motilidade e resulta em anormalidades na forma dos espermatozoides. A exposição a poluentes e tóxicos ambientais está sendo reconhecida como uma potencial causa de infertilidade. Existem alguns estudos que sugerem que até a ingestão de alimentos contaminados com pesticidas pode afetar a qualidade e a quantidade de espermatozoides.


Curiosamente, os estudos não mostraram efeito significativo sobre o esperma sendo por conta de álcool, consumo de cafeína ou uso de maconha. Nem a literatura documentou danos causados pelo calor nos testículos. No entanto, só porque não há estudo que comprove um efeito adverso, não significa que não exista.

Como especialista em fertilidade e pesquisador, estou ciente de como é difícil avaliar os perigos das exposições ambientais. Mas eu sugiro fortemente aos homens evitem beber mais do que duas bebidas alcoólicas por dia e parem de usar drogas recreativas quando estão tentando engravidar.

A questão dos celulares geralmente aparece em conversas com pacientes. Esses aparelhos possuem uma fonte de campos eletromagnéticos de baixa frequência e o campo de estudo sobre a causa de infertilidade masculina com base nas ondas de celulares é escasso, com resultados conflitantes. O melhor estudo publicado até agora, na minha opinião, é de Harvard, onde os padrões de uso de celular e os parâmetros de análise do sêmen foram avaliados ao longo do tempo e nenhuma associação foi encontrada, o que não significa que não haja nenhuma relação.

Se você for diagnosticado com infertilidade, não desanime. Uma vez que sabemos a causa da infertilidade, podemos estabelecer um plano de tratamento. Há tantos recursos disponíveis, incluindo medicação ou terapia hormonal para aumentar a testosterona ou reduzir o estrogênio, bem como técnicas cirúrgicas minimamente invasivas para corrigir uma varicocele ou outro bloqueio.

O principal é não atribuir nem aceitar culpas. Apenas procure tratamento. 

Sinem Karipcin, via Carolina lara 
Share on Google Plus

Sobre Ricardo Adriano

Sou pedagogo de formação, amo música, livros, poesias, trabalho com jardinagem e tudo um pouco, já fiz "um pouco". Sou amante da vida, da informação, das notícias que são levadas a você leitor (a). Estamos aqui para interagir. Obrigado por acessar este espaço.

0 comentários: