Temer é ‘omisso’ na crise dos refugiados, diz governo de Roraima

Segundo secretário-chefe da Casa Civil do estado, envio de militares para fronteira e rodovias federais não resolve o problema, localizado nas áreas urbanas


O governo de Roraima avaliou como “desnecessário” o decreto do presidente Michel Temer que determinou o uso das Forças Armadas para reforçar a segurança no estado.

Para a gestão estadual da governadora Suely Campos (PP), o governo do presidente Temer está sendo “omisso” na crise que envolve os refugiados venezuelanos e precisaria determinar um controle maior da fronteira. O estado sugere que a entrada de imigrantes seja controlada, com a avaliação de antecedentes criminais e uma distribuição maior de venezuelanos para outras regiões do país.

“O governo federal tem efetivamente se tornado omisso”, diz o secretário-chefe da Casa Civil de Roraima, Frederico Linhares. “Está faltando pulso do governo federal para chamar os outros governadores para conversar e cada um ter a sua responsabilidade, de acordo com sua capacidade. Evidentemente, Roraima não pode se transformar em um campo de refugiados.”

No discurso do governo de Roraima, o decreto de Garantia da Lei e da Ordem assinado por Temer terá um impacto reduzido, porque se limita a enviar militares para a faixa de fronteira e rodovias federais, sendo que o problema ocorre em áreas urbanas. “Nesses moldes, no nosso entender, o decreto é desnecessário”, diz Linhares. Para ele, o problema maior relacionado à segurança pública está nas áreas urbanas de Boa Vista e Pacaraima, municípios com maior fluxo de imigrantes venezuelanos e que já receberam sessenta integrantes da Força de Segurança Nacional.
Temer é ‘omisso’ na crise dos refugiados, diz governo de Roraima Temer é ‘omisso’ na crise dos refugiados, diz governo de Roraima Reviewed by Ricardo Adriano on setembro 01, 2018 Rating: 5

Nenhum comentário

Teste Teste Teste Teste

Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste