Adbox
Tecnologia do Blogger.

"Futuro presidente terá 23 mil quilômetros de problemas para resolver"

"Investimento em rodovias
Daniel Castellano / Arquivo / Gazeta do Povo"

"O estado de conservação das rodovias federais piorou neste ano: 23.467 mil quilômetros da malha rodoviária do país, ou 41% do total analisado, receberam as classificações “regular”, “ruim” ou “péssimo” em levantamento do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT). E o Brasil está longe de conseguir virar o jogo da qualidade das estradas. Os investimentos são insuficientes até para manter as rodovias existentes.

Esse será um dos desafios do próximo presidente na área de infraestrutura. Com pouco dinheiro e um orçamento apertado, ele terá de criar formas de expandir a malha e manter as rodovias que já existem. A retomada de obras paradas também será um desafio.

O levantamento do DNIT mostra que, do total de 57,3 mil quilômetros de rodovias federais, 59% receberam avaliação boa dentro do Índice de Condição da Manutenção (ICM). Do total, 18% das rodovias estão em estado regular, 10% são consideradas ruins e 13%, péssimas. No levantamento anterior, do primeiro trimestre de 2017, 67,5% das rodovias estavam em bom estado; 21%, regular; 7%, ruim; e 5%, péssimo."

"O DNIT diz que a piora na qualidade da malha rodoviária é reflexo da queda nos recursos que o Ministério dos Transportes destina ao setor, que caíram 28% em quatro anos, passando de R$ 9,66 bilhões entre 2011 e 2014 para R$ 6,97 bilhões de 2015 a 2018. Como resultado, recursos para manutenção e conservação das rodovias foram reduzidos em 22%.

Se falta dinheiro até para manter as vias existentes, a expansão acaba ficando para depois, apesar de este ser o modal que mais transporta cargas no país, com fatia de 65% do total."


Share on Google Plus

Sobre Ricardo Adriano

Sou pedagogo de formação, amo música, livros, poesias, trabalho com jardinagem e tudo um pouco, já fiz "um pouco". Sou amante da vida, da informação, das notícias que são levadas a você leitor (a). Estamos aqui para interagir. Obrigado por acessar este espaço.

0 comentários: