Adbox
Tecnologia do Blogger.

Laudo do IML confirma que Rhuan de 9 anos, foi decapitado vivo e teve pele do rosto removida antes de ser esquartejado

O laudo de necropsia feito no corpo do menino Rhuan Maycon da Silva Castro de 9 anos, mostrou detalhes chocantes da forma como a criança foi assassinada, pela própria mãe, Rosana Auri da Silva Cândido, 27 anos, sua própria mãe, e sua namorada, Priscyla Santiago Damasceno, 28.
O laudo comprovou que quando a cabeça de Rhuan foi removida ele ainda tinha sinais vitais, o que significa que ele estava vivo. Depois a pele de seu rosto foi totalmente arrancada, e a mãe ainda tentou arrancar os globos oculares com uma faca. 
Rhuan levou a primeira facada ainda dormindo, ele acordou assustado, se ajoelhou ao lado da cama, e foi golpeado mais 11 vezes, por Rosana, enquanto Kacyla o segurava, e depois acendia a churrasqueira.
Elas tentaram incinerar o menino, e chegaram a comprar um martelo para triturar os ossos que sobrassem, mas com fez muita fumaça e a carne não desprendia do osso, elas coloram as partes do menino em duas mochilas, para dispensar em bueiros posteriormente.
O crime ocorreu em Samambaias, no Distrito Federal, na noite de 31 de maio.
Um ano antes, ele teve o pênis decepado, e nunca foi ao hospital, ninguém nem consegue imaginar como ele conviveu com as feridas deixadas pela mutilação.
As duas mulheres também obrigavam Rhuan e a outra menina de 8 anos, filha de Kacyla a fazerem sexo entre si.
Rhuan e a outra criança não freqüentavam a escola, e ele era obrigado a viver como se fosse menina.
Elas disseram que tudo que fizeram é porque a mãe não queria mais ter nenhuma ligação com a família do pai da criança, e que queria sumir com a criança.
As duas estão presas e confessaram o crime.
Share on Google Plus

Sobre Blog Sociedade Ativa

Sou pedagogo de formação, amo música, livros, poesias, trabalho com jardinagem e tudo um pouco, já fiz "um pouco". Sou amante da vida, da informação, das notícias que são levadas a você leitor (a). Estamos aqui para interagir. Obrigado por acessar este espaço.

0 comentários: