Adbox
Tecnologia do Blogger.

Liturgia da Palavra de hoje (10)

Primeira Leitura (Gn 3,9-15.20)
Leitura do Livro do Gênesis.
9O Senhor Deus chamou Adão, dizendo: “Onde estás?” 10E ele respondeu: “Ouvi tua voz no jardim, e fiquei com medo porque estava nu; e me escondi”. 11Disse-lhe o Senhor Deus: “E quem te disse que estavas nu? Então comeste da árvore, de cujo fruto te proibi comer?” 12Adão disse: “A mulher que tu me deste por companheira, foi ela que me deu do fruto da árvore, e eu comi”.
13Disse o Senhor Deus à mulher: “Por que fizeste isso?” E a mulher respondeu: “A serpente enganou-me e eu comi”. 14Então o Senhor Deus disse à serpente: “Porque fizeste isso, serás maldita entre todos os animais selvagens! Rastejarás sobre o ventre e comerás pó todos os dias da tua vida! 15Porei inimizade entre ti e a mulher, entre a tua descendência e a dela. Esta te ferirá a cabeça e tu lhe ferirás o calcanhar”. 20E Adão chamou à sua mulher “Eva”, porque ela é a mãe de todos os viventes.
— Palavra do Senhor.
— Graças a Deus.

Responsório (Sl 86)
— Dizem coisas gloriosas da Cidade do Senhor.
— Dizem coisas gloriosas da Cidade do Senhor.
— O Senhor ama a cidade que fundou no Monte santo; ama as portas de Sião mais que as casas de Jacó.
— Dizem coisas gloriosas da Cidade do Senhor. De Sião, porém, se diz: “Nasceu nela todo homem; Deus é sua segurança”.
— Deus anota no seu livro, onde inscreve os povos todos: “Foi ali que estes nasceram”. Por isso todos juntos a cantar se alegrarão; e, dançando, exclamarão: “Estão em ti as nossas fontes!”.

Evangelho (Jo 19,25-34)
— O Senhor esteja convosco.
— Ele está no meio de nós.
— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo João.
— Glória a vós, Senhor.
Naquele tempo, 25perto da cruz de Jesus, estavam de pé a sua mãe, a irmã da sua mãe, Maria de Cléofas, e Maria Madalena.
26Jesus, ao ver sua mãe e, ao lado dela, o discípulo que ele amava, disse à mãe: “Mulher, este é o teu filho”. 27Depois disse ao discípulo: “Esta é a tua mãe”. Daquela hora em diante, o discípulo a acolheu consigo.
28Depois disso, Jesus, sabendo que tudo estava consumado, e para que a Escritura se cumprisse até o fim, disse: “Tenho sede”.
29Havia ali uma jarra cheia de vinagre. Amarraram numa vara uma esponja embebida de vinagre e levaram-na à boca de Jesus. 30Ele tomou o vinagre e disse: “Tudo está consumado”. E, inclinando a cabeça, entregou o espírito. 31Era o dia da preparação para a Páscoa. Os judeus queriam evitar que os corpos ficassem na cruz durante o sábado, porque aquele sábado era dia de festa solene. Então pediram a Pilatos que mandasse quebrar as pernas aos crucificados e os tirasse da cruz.
32Os soldados foram e quebraram as pernas de um e depois do outro que foram crucificados com Jesus.
33Ao se aproximarem de Jesus, e vendo que já estava morto, não lhe quebraram as pernas; 34mas um soldado abriu-lhe o lado com uma lança, e logo saiu sangue e água.
— Palavra da Salvação.
— Glória a vós, Senhor.

Homilia
Hoje, temos a graça de celebrar, por iniciativa do Papa Francisco, o dia de Maria, a Mãe da Igreja. Se ontem celebramos o nascimento da Igreja, hoje, celebramos o nascimento daquela que é Mãe da Igreja.
A Igreja é a Mãe de todos os seguidores de Jesus, e em Maria, figura perfeita dessa Igreja, essa mesma Igreja tem uma Mãe. A narração da leitura de hoje nos diz que todos eles perseveravam na oração com Maria, a Mãe de Jesus.
Maria é aquela que está aos pés da Cruz, e o próprio Jesus a dá como Mãe a João, figura do discípulo amado, para dizer que toda a Igreja amada tem uma Mãe, toda a Igreja tem em Maria o seu referencial.
Que graça e que beleza! Maria é a mulher do Espírito, desde o seu nascimento foi preservada do pecado, escolhida por Deus para ser a Mãe do Senhor. Ela se tornou a esposa do Espírito quando concebeu, não por obra humana, mas obra do Espírito, o Autor e Salvador da humanidade, Jesus nosso Senhor.
Maria, a mulher de Pentecostes, a mulher do silêncio, aquela que meditava e guardava todas as coisas no seu coração. Maria, a mulher que está de pé junto à Cruz.

Precisamos, mais do que nunca, recorrer a Virgem Maria para sermos também filhos da Igreja

A Igreja de Cristo nasce do lado aberto de Cristo na Cruz, porque, quando Cristo está pregado na Cruz, do Seu lado aberto sai sangue e água, os dois sacramentos vitais da Igreja: a Eucaristia e o Batismo. O batismo que nos dá a vida, e a Eucaristia que nos alimenta nessa vida perene que todos nós estamos. Antes, o entanto, de nos dar o sangue e a água, o batismo e a Eucaristia, Ele nos deu Maria como Mãe. Por isso, ele está dizendo aos pés da cruz: “Filho, esta é a tua mãe”.
Não podemos ignorar jamais o papel dessa mulher. É aquela mulher do paraíso, que, perdida em Eva, agora é encontrada em Maria. Ela é mulher do Apocalipse, aquela que apareceu como um sinal no Céu. Maria é a mulher nova, é a humanidade nova, renovada, santificada e plenificada no Espírito.
Temos Mãe, por isso devemos invocá-la como Mãe da Igreja, Mãe de todos nós, filhos da Igreja. Precisamos, mais do nunca, recorrer a Virgem Maria para sermos também Igreja, filhos da Igreja e amarmos essa Igreja da qual ela é Mãe.
Deus abençoe você!
Share on Google Plus

Sobre Blog Sociedade Ativa

Sou pedagogo de formação, amo música, livros, poesias, trabalho com jardinagem e tudo um pouco, já fiz "um pouco". Sou amante da vida, da informação, das notícias que são levadas a você leitor (a). Estamos aqui para interagir. Obrigado por acessar este espaço.

0 comentários: